Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/15741
Tipo de Documento: Monografia
Título: Revestimentos comestíveis a base de alginato, amido de milho e fécula de mandioca na conservação pós-colheita do umbu (Spondias tuberosa)
Autor(es): Santos, Edilaine Alves da Silva
Data do documento: 8-Jul-2019
Orientador: Souza, Jane Delane Reis Pimentel
Resumo: O umbu é uma fruta nativa da região nordeste, que apresenta em sua composição carboidratos, proteína, cálcio, ferro, fósforo, vitaminas A, B1, B2, B3 e C. Sua vida pós colheita dura de dois a três dias em temperatura ambiente. Dessa forma o presente trabalho tem por objetivo o desenvolvimento e a avaliação de revestimentos comestíveis a base de alginato, amido de milho e fécula de mandioca sobre a vida de prateleira do umbu. Após colhidos os frutos foram submetidos às etapas de seleção, sanitização e secagem, depois foram imersos nas soluções filmogênicas por um minuto. Com o planejamento de mistura, foram definidos 10 tratamentos, com a repetição do ponto central. As formulações continham polímeros em concentrações variadas de 0 a 3%. Ao longo de 6 dias de armazenamento à temperatura ambiente foram analisados a perda de peso, cor (L, a e b) e análise sensorial (aparência e textura). Os SST, pH, ATT e ratio foram avaliados no primeiro e último dia de armazenamento. Dessa forma foi possível obter regressões lineares que demonstram que não houve diferença significativa entre os tratamentos para nenhum dos parâmetros avaliados, perda de peso, cor (L, a e b), aparência, textura, SST, pH, ATT e ratio, portanto, não sendo possível, estimar se os níveis de alginato, fécula de mandioca e amido de milho estudados tiveram efeito sobre a vida de prateleira do umbu. Todavia, ao se avaliar os atributos perda de peso, cor (L, a e b), aparência e textura, em conjunto no programa Design Expert foi gerada uma condição ótima de mistura dos revestimentos estudados, com a desejabilidade de 77%, indicou que a formulação com 0,59g/100g de alginato e 0,41g/100g de fécula de mandioca, melhor conservaria as características desejadas nos frutos. Por conseguinte, conclui-se que os carboidratos, nas concentrações utilizadas, não foram eficientes na conservação pós colheita do umbu a temperatura ambiente, dessa maneira um estudo de validação deve ser realizado posteriormente. Já que não foi possível realizar devido a condição de sazonalidade do fruto.
Palavras-chave: Agroindústria
Revestimentos comestíveis
Carboidratos - Polissacarídeos
Umbu
Spondias tuberosa
Design expert
Formulações químicas
Soluções filmogênicas
área CNPQ: CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA
Idioma: por
Sigla da Instituição: Universidade Federal de Sergipe
Departamento: NEAGROS - Núcleo de Graduação de Agroindústria - Nossa Senhora da Glória - Presencial
Citação: SANTOS, Edilaine Alves da Silva. Revestimentos comestíveis a base de alginato, amido de milho e fécula de mandioca na conservação pós-colheita do umbu (Spondias tuberosa) . 2019. 40 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agroindústria) - Universidade Federal de Sergipe, Nossa Senhora da Glória, SE, 2019.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/15741
Aparece nas coleções:Agroindústria

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Edilaine_Alves_Silva_Santos.pdf1,28 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.