Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/9292
Tipo de Documento: Dissertação
Título : “A sensaboria dos indefectíveis e detestáveis maracatus” : consequências do Quebra de Xangô sobre essa expressão popular no carnaval de 1912
Autor : Lima, Carlos Eduardo Ávila Casado de
Fecha de publicación : 24-sep-2015
Director(a): Rafael, Ulisses Neves
Resumen: Este trabalho busca analisar aspectos do carnaval da cidade de Maceió do início do século XX, sobretudo a inserção do Maracatu entre os anos de 1903 até 1912, assim como o seu desaparecimento. O período em tela coincide com os anos que antecederam um dos episódios mais violentos de que se tem notícia na história dos cultos de matriz africana no Estado, que ficou conhecido como “o Quebra de xangô 1912”, e que implicou na destruição das principais casas de culto de Maceió e adjacências. A relação entre o desaparecimento dos Maracatus e o quebra-quebra motivou a realização dessa pesquisa. Utilizamos como ferramenta analítica a ideologia higienista, na tentativa de explicar a intolerância contra os grupos de Maracatus e terreiros no começo do ano de 1912, e que se refletiu nos dias de carnaval, com a falta dos grupos ligados as casas de xangô durante a festa. Nosso trabalho de pesquisa foi documental, tendo como fonte de informações os periódicos: O Orbe, A Tribuna, Gutemberg, Relatórios Provinciais e o Jornal de Alagoas, este último, trata-se mais especificamente dos aspectos carnavalescos noticiados nas colunas intituladas “Mascaradas” e “Carnaval”, respectivamente, acessados nos arquivos da Biblioteca Nacional e no Arquivo Público de Alagoas (APA). Assim, o que se pretende é uma leitura crítica dos aspectos pertinentes à participação de grupos populares nos festejos carnavalescos da capital alagoana, tal como apresentados nos jornais do Estado, especificamente, o Maracatu . Encontramos uma referência do carnaval em 1911, em que um mestre de Maracatu e considerado o Pai do Carnaval. Com o quebra-quebra e a saída do governador do Estado, devido instabilidade política do período, as bases desses grupos foram desestruturadas, passando décadas desorganizados. No carnaval de 1912, os grupos de Maracatu não veem as ruas e o arrefecimento da festa acontece. Nesse sentido nossa teoria confirma-se pelas notas jornalísticas e críticas carnavalescas. O Maracatu que existia na cidade é silenciado pela força das atitudes da época.
Resumen : This work seeks to analyze aspects of the carnival of the city of Maceio early twentieth century, particularly the emergence of Maracatu between the years 1903 and 1912, as well as its disappearance. The period coincides with the years preceding one of the most violent episodes recorded in Afro-Brazilian community of Alagoas, which became known as "A Quebra de Xango 1912". This caused the destruction of the main homes cult in Maceio and surrounding areas. The relationship between the disappearance of Maracatus and o quebra-quebra is the inspiration for this research. Our analytical approach is the hygienist ideology, seeking to explain the intolerance against religious communities and Maracatus groups at the beginning of 1912. This impacted on the days of carnival, as there was a lack of groups linked the Xango houses, during the party. Our research consisted of a desk review, following these periodical sources: The Orb, The Tribune, Gutemberg, Provincial reports and the Journal of Alagoas. The latter refers specifically to aspects of the Carnival reported in the columns headed "Masked" and "Carnival", respectively found in the archives of the National Library and Public Archives of Alagoas (APA). In this way we hope to undertake a critical review of the participation of popular groups in the carnival festivities of the capital of Alagoas, including those presented by newspapers, specifically, The Maracatu. Notably, we identified a reference to Carnival in 1911, in which a Maracatu master is considered the Father of Carnival. Because of the quebra-quebra and also the exit of the governor of State, precipitated by the political instability of that period, the structure of those groups became disorganized for decades. In the carnival of 1912 Maracatu groups did not come to the streets and the festivities were noticeably less exuberant. In this sense, our theory is confirmed by newspaper extracts that were critical of the Carnival. The Maracatu that existed in the city was ultimately muted by the strength of opposing attitudes that characterized that time.
Palabras clave : Antropologia
Cultura popular
Maceió (AL)
Maracatu
Xangô
Liberdade religiosa
Quebra de Xangô
Higienismo
Popular culture
Anthropology
Break shango
Hygienism
Área CNPQ: CIENCIAS HUMANAS::ANTROPOLOGIA
Idioma : por
Institución: Universidade Federal de Sergipe
Programa de Posgrado: Pós-Graduação em Antropologia
Citación : LIMA, Carlos Eduardo Ávila Casado de. “A sensaboria dos indefectíveis e detestáveis maracatus” : consequências do Quebra de Xangô sobre essa expressão popular no carnaval de 1912. 2015. 141 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2015.
URI : http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/9292
Aparece en las colecciones: Mestrado em Antropologia

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción Tamaño Formato  
CARLOS_EDUARDO_AVILA_CASADO_LIMA.pdf2,84 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Los ítems de DSpace están protegidos por copyright, con todos los derechos reservados, a menos que se indique lo contrario.