Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/10157
Document Type: Tese
Title: Tramas territoriais e tessituras multidimensionais em comunidades quilombolas na Paraíba
Authors: Fredrich, Maria Salomé Lopes
Issue Date: 10-Oct-2018
Advisor: Vargas, Maria Augusta Mundim
Resumo : A resistência da população negra na Paraíba, frente às crueldades da escravidão e em diversos contextos que formaram territórios de resistência e de vivência – como os quilombos –, tem sido recentemente recuperada com olhares mais críticos, inclusive na ciência geográfica, sobremaneira, em pesquisas que tomam a abordagem cultural como aporte teórico-metodológico. É nessa perspectiva que nossa análise se insere. Nesse estudo, recuperamos a vivência, os significados, o cotidiano, a multidimensionalidade das redes alicerçadas nas estratégias de mobilidade e de permanências, enfatizando como os territórios e as territorialidades das comunidades quilombolas na Paraíba estão sendo apropriados. No sentido posto, buscamos analisar as dinâmicas e as tramas territoriais de Pedra D’Água, localizada no município de Ingá, na Mesorregião do Agreste paraibano. Procuramos reconstruir a ascendência histórica e os referenciais multidimensionais entre os territórios de Pedra D’Água, Matão, Grilo e Matias. A abordagem se faz a partir das situações do presente e da escala local, porém sem desprezarmos as escalas mais amplas. As redes estabelecidas pelas comunidades quilombolas possibilitam territorialidades multidimensionais, notadamente pelas dimensões de pertença material e simbólica projetadas sobre o território de uso tradicional. Assim, os argumentos foram construídos, fundamentalmente, na discussão de território, rede, territorialidade e identidade, entrelaçando a correspondente relação entre a materialidade e imaterialidade do território, e autores como Raffestin (1993), Bonnemaison (2002), Almeida (2005, 2008), Haesbaert (2004, 2009), Souza (2003), Almeida e Vargas et al. (2011), Vargas (2015), Marques (2015), Santos (2015), Hall (2011), Rodrigues (2011), Bauman (2005), entre outros, auxiliam nessa interpretação. A transversalidade constituiu a característica basilar para fins de análise e de construção dos resultados e, assim, percorremos por algumas situações analíticas acerca das práticas de resistências das comunidades quilombolas, guiados pelos seguintes questionamentos: a territorialidade dos quilombolas de Pedra D’Água envolve, entre outras questões, uma rede de sociabilidades entre grupos que expressam sua identidade diferenciada? Há uma unidade de práticas culturais e um universo simbólico compartilhado via redes entre Pedra D’Água, Matão, Grilo e Matias? As territorialidades emanadas da apropriação do território de vivência marcam a identidade negra e quilombola em Pedra D’ Água? Procedemos às pesquisas documentais na Seção Regional do INCRA/PB e nos portais oficiais da FCP e da SEPPIR. Também levantamos informações na literatura sobre o tema na Paraíba, além dos trabalhos de campo nos referidos territórios, especialmente, em Pedra D’Água, nos quais foi possível recorrer às falas dos interlocutores e das interlocutoras por apreendermos que esse exercício se faz indispensável na interpretação dos referenciais sociais, culturais e políticos. Concluímos que as territorialidades surgem em meio ao liame entre o permanecer no território e as mobilidades que, numa perspectiva mais abstrata, mediam outras relações em termos espaciais, voltadas às interações e (re) criação de sociabilidades e territorialidades mediadas pelas demandas e articulações eminentemente identitárias e políticas.
Abstract: In Paraíba, the resistance of the black population to the cruelties of slavery, persecution and mistreatment, in various contexts and in various forms, which have formed territories of resistance and living - such as the quilombos - have recently been recovered with a critical point of view, including the geographical science, in a cultural approach. It is from this perspective that our analysis is based on. We also carried out a study to recover the experience, the meanings, the daily life, the multidimensionality of the networks founded on strategies of mobility and permanence emphasizing how the territories and territorialities of the quilombolas communities in Paraíba are being appropriated. In this sense, we aim to analyse the process of the dynamics and the territorial matters of Pedra D'Água, located in the municipality of Ingá, in the Mesoregion of Agreste Paraibano. We seek to reconstruct historical ancestry and multidimensional references between the territories of Pedra D'Água, Matão, Grilo and Matias. The approach is based on present and local situations, but without neglecting the broader scales. The constructed hypothesis is that the process of resistance of the quilombola communities has been the propeller of the dynamics of the territories and the networks, generating the feeling of belonging to the material and symbolic territory, which is an inducer of territorialities. Thus, the arguments were constructed, fundamentally, in the discussion of territory, network, territoriality and identity, interweaving the corresponding relation between materiality and immateriality of the territory, and authors such as Raffestin (1993), Bonnemaison (2002), Almeida (2005, 2008) ), Haesbaert (2013, 2016), Souza (2003), Almeida and Vargas et al. (2011), Vargas (2015), Marques (2015), Santos (2015), Hall (2011), Rodrigues (2011), Bauman (2005), among others, aid in this interpretation. The transversality constituted the fundamental phase for analysis and results purposes, and we are going through some analytical situations about the resistance practices of quilombola communities, such as: the territoriality of Pedra D'água quilombolas involves, among other things, a network between groups expressing their differentiated identity? Is there a unity of cultural practices and a symbolic universe shared via networks between Pedra D'Água, Matão, Grilo and Matias? The territorialities emanating from the appropriation of the living territory mark the black and quilombola identity in Pedra D 'Água? We conducted the documentary research in the Regional Section of INCRA / PB and in the official portals of the FCP and SEPPIR. We also gathered information in the literature on the subject in Paraíba, as well as the field work in these territories, especially in Pedra D'Água, where it was possible to use the lines of the interlocutors and interlocutors because we understand that this exercise is indispensable in the interpretation of social, cultural and political benchmarks. We conclude that the territorialities arise in the middle of the relationship between remaining in the territory and the mobilities, which in a more abstract perspective, mediated other relations in spatial terms, oriented to interactions and (re) creation of sociabilities and territorialities mediated by the demands and articulations eminently identity, political and resistance.
Keywords: Geografia humana
Territorialidade humana
Quilombolas
Paraíba
Identidade social
Comunidades
Territórios
Territorialidades
Redes
Identidade
Territories
Territorialities
Networks
Identity
Subject CNPQ: CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA
Language: por
Institution: Universidade Federal de Sergipe
Program Affiliation: Pós-Graduação em Geografia
Citation: FREDRICH, Maria Salomé Lopes. Tramas territoriais e tessituras multidimensionais em comunidades quilombolas na Paraíba. 2018. 275 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2018.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/10157
Appears in Collections:Doutorado em Geografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MARIA_SALOME_LOPES_FREDRICH.pdf6,98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.