Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/10565
Document Type: Dissertação
Title: Assédio moral e autocuidado no trabalho de assistência a vítimas de violência contra a mulher
Authors: Santos, Karine David Andrade
Issue Date: 17-Sep-2018
Advisor: Silva, Joilson Pereira da
Resumo : A atividade de assistência a vítimas de violência contra a mulher suscita um leque de emoções nos trabalhadores desta área cujos desdobramentos podem ocasionar a reprodução das relações violentas assistidas através do assédio moral entre os membros da equipe e o adoecimento em níveis individual e grupal. Para minimizar estes impactos e preservar a saúde destes profissionais, o autocuidado é apontado como ferramenta fundamental para esta finalidade. Assim, a presente investigação aborda o assédio moral no trabalho e a saúde dos profissionais da assistência a vítimas de violência contra a mulher, um intento que se estendeu em descrever as práticas de assédio moral no trabalho, retratar a experiência de atendimento a mulheres vítimas de violência e observar as práticas de autocuidado exercidas pelos participantes em níveis pessoal, profissional, coletivo e institucional. Para alcançar estes objetivos, foram desenvolvidos sete capítulos apresentados em forma de artigos. Assim, o Capítulo 1 empreendeu uma análise conceitual sobre assédio moral no trabalho, autocuidado e discutiu a vulnerabilidade destes profissionais promovida pelo Estado alicerçado em bases econômicas neoliberais. No Capítulo 2, foi desenvolvida uma revisão sistemática sobre adoecimento e o autocuidado em profissionais da assistência a vítimas de violência através da busca destas temáticas em três bancos de dados: IndexPsi, Scielo e PsycInfo. Após a aplicação dos critérios de inclusão e de exclusão, foram recolhidos 41 artigos para análise cujos resultados apontam para necessidade de produções direcionadas para os fatores que facilitam e dificultam o cuidado de si destes profissionais. O Capítulo 3 teve o objetivo de verificar as práticas de autocuidado nos níveis individual, profissional, coletivo e institucional efetivadas por profissionais de assistência a vítimas de violência contra a mulher. Para tal feito, doze profissionais (duas educadoras, cinco assistentes sociais, três psicólogas e duas advogadas) de quatro centros de atendimento a vítimas de violência contra a mulher da cidade de Aracaju e interior de Sergipe, foram submetidos a um roteiro de entrevista com perguntas sobre os aspectos em questão. Através do uso do software Iramuteq, os achados apontaram para a limitação do autocuidado individual aos espaços familiares, os obstáculos no desvelo com a saúde física e a ausência pelas participantes e insuficiência do autocuidado em âmbito institucional. Ainda com este mesmo público, métodos de estudo e com o uso da análise de conteúdo, foi elaborado o Capítulo 4 que objetivou descrever o assédio moral no trabalho vivenciado por profissionais da assistência a vítimas de violência contra a mulher. Os dados indicaram que as participantes estão sujeitas a desvalorização, difamação e intimidação que se materializam em situações específicas de suas atividades laborativas por parte dos superiores hierárquicos, ocasionando consequências para a saúde física, mental e, principalmente, na motivação para o trabalho dos assediados. Esta produção revelou a importância da implementação de estratégias preventivas e interventivas voltadas para o assédio moral nestes espaços de trabalho. Já o Capítulo 5, também empreendido com os mesmos participantes, métodos e com o uso do software Iramuteq, teve como finalidade descrever as condições de trabalho, investigar a experiência de atendimento a mulheres vítimas de violência e observar as práticas de autocuidado exercidas pelo grupo profissional em níveis pessoal, profissional, coletivo e institucional. Os resultados traçaram um quadro de exposição a conflitos e relações de trabalho violentas, a condições de trabalho precárias, a uma dinâmica institucional personalista e a dificuldades para seguimento e acompanhamento dos casos atendidos. Tais constatações reforçam a necessidade do fortalecimento do sistema de políticas públicas. Por sua vez, o Capítulo 6 foi construído com o mesmo objetivo da seção anterior e foi operacionalizado através da aplicação de um roteiro de entrevista com 10 profissionais de assistência a vítimas de violência contra a mulher de associações públicas e privadas na Espanha cujas informações recolhidas foram analisadas pelo método informático Iramuteq. Nesta investigação, foram constatados que as pesquisadas estão expostas a condições de trabalho precarizadas, encontrados indícios de adoecimento pela aproximação com a realidade atendida e os esforços de autocuidado pessoal através da psicoterapia individual, uma insuficiência e inexistência de autocuidado institucional e indícios da presença de relações violentas no trabalho. Por fim, o Capítulo 7 foi elaborado através de um comparativo entre os resultados extraídos das pesquisas realizadas entre Brasil e Espanha cujos apontamentos se direcionam para semelhanças no tocante a experiência subjetiva e um distanciamento nas características de autocuidado empreendidas por profissionais brasileiras e espanholas. Estes resultados sinalizam para a importância da efetivação dos programas de autocuidado vigentes e de elaboração de propostas de cuidar da equipe profissional que leve em consideração as particularidades sociais, econômicas e culturais dos locais de intervenção
Abstract: The activity of assisting victims of violence against women raises a range of emotions in the workers in this area whose consequences may lead to the reproduction of the violent relations assisted through the bullying between the members of the team and the illness at the individual and group levels. To minimize these impacts and preserve the health of these professionals, self-care is pointed out as a fundamental tool for this purpose. Thus, the present investigation addresses workplace harassment and the health of professionals in the care of victims of violence against women, an attempt that was extended in describing the practices of bullying at work, portraying the experience of serving women victims of violence. violence and observe the self-care practices exercised by participants at personal, professional, collective and institutional levels. To achieve these objectives, seven chapters have been developed in the form of articles.Thus, Chapter 1 undertook a conceptual analysis on workplace harassment, self-care and discussed the vulnerability of these professionals promoted by the State based on neoliberal economic bases. In Chapter 2, a systematic review on illness and self-care was developed in professionals assisting victims of violence through the search of these themes in three databases: IndexPsi, Scielo and PsycInfo. After applying the inclusion and exclusion criteria, 41 articles were collected for analysis, whose results point to the need for productions directed at the factors that facilitate and hinder the care of these professionals. Chapter 3 had the objective of verifying self-care practices at the individual, group, collective and institutional levels carried out by professionals of assistance to victims of violence against women. To that end, twelve professionals (two educators, five social workers, three psychologists and two lawyers) from four centers of assistance to victims of violence against women in the city of Aracaju and in the interior of Sergipe were submitted to an interview script with questions about the aspects in question. Through the use of the Iramuteq software, the findings pointed to the limitation of individual self-care to family spaces, obstacles to physical health care and absence of participants, and insufficient self-care in the institutional setting. Also with this same public, methods of study and with the use of content analysis, the chapter 4 was elaborated that aimed to describe the moral harassment in the work experienced by professionals of assistance to victims of violence against women. The data indicated that the participants are subject to devaluation, defamation and intimidation that materialize in specific situations of their work activities by the hierarchical superiors causing consequences for the physical, mental health and, mainly, the motivation for the work of the harassed ones. This production revealed the importance of implementing preventive and intervention strategies aimed at bullying in these workspaces. Chapter 5, which was also carried out with the same participants, methods and the use of the Iramuteq software, aimed to describe the working conditions, to investigate the experience of attending to women victims of violence and to observe the self-care practices practiced by the professional group at the personal, professional, collective and institutional levels. The results provided a framework for exposure to violent conflicts and working relationships, poor working conditions, a personalistic institutional dynamics and difficulties for follow-up and follow-up of the cases served. These findings reinforce the need to strengthen the public policy system. In turn, Chapter 6 was built with the same objective as the previous section and was implemented through the application of an interview script with 10 professionals of assistance to victims of violence against women from public and private associations in Spain whose information was collected analyzed by the computer method Iramuteq. In this investigation, the researchers were found to be exposed to precarious working conditions, signs of illness due to the approximation to the reality served and the efforts of personal self-care through individual psychotherapy, an insufficiency and lack of institutional self-care and evidence of the presence of relationships violent at work. Finally, Chapter 7 was elaborated through a comparison between the results extracted from the researches carried out between Brazil and Spain whose notes are directed towards similarities in relation to subjective experience and a distancing in the characteristics of self-care undertaken by Brazilian and Spanish professionals.These results point to the importance of effective self - care programs and the preparation of proposals to take care of the professional team that takes into account the social, economic and cultural characteristics of the intervention sites.
Keywords: Psicologia
Assédio moral
Trabalho social
Riscos ocupacionais
Autocuidado
Social work
Occupational risks
Self-care
Subject CNPQ: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Language: por
Institution: UFS
Program Affiliation: Pós-Graduação em Psicologia
Citation: SANTOS, Karine David Andrade. Assédio moral e autocuidado no trabalho de assistência a vítimas de violência contra a mulher. 2018. 228 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2018.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/10565
Appears in Collections:Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
KARINE_DAVID_ANDRADE_SANTOS.pdf1,9 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.