Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/10616
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorBatista, Rafaela Katiúscia Santos-
dc.date.accessioned2019-03-08T12:14:50Z-
dc.date.available2019-03-08T12:14:50Z-
dc.date.issued2018-11-28-
dc.identifier.citationBatista, Rafaela Katiúscia Santos. Dieta de Saccopteryx leptura (Chiroptera : Emballonuridae) no refúgio de vida silvestre Mata do Junco, Capela-SE. São Cristóvão, SE, 2018. Monografia (graduação em Ecologia) – Departamento de Ecologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2018pt_BR
dc.identifier.urihttp://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/10616-
dc.languageporpt_BR
dc.subjectEcologiapor
dc.subjectEnsino de ecologiapor
dc.subjectControlador de pragaspor
dc.subjectDietapor
dc.subjectInsetívoropor
dc.subjectMata Atlânticapor
dc.subjectSaccopteryx lepturapor
dc.subjectMamífero da ordem Chiropterapor
dc.subjectMorcegopor
dc.subjectMorcego da família Emballonuridaepor
dc.subjectRefúgio de Vida Silvestre Mata do Juncopor
dc.subjectCapela (SE)por
dc.titleDieta de Saccopteryx leptura (Chiroptera : Emballonuridae) no refúgio de vida silvestre Mata do Junco, Capela-SEpt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.contributor.advisor1Bocchiglieri, Adriana-
dc.description.resumoOs morcegos podem ser frugívoros, insetívoros e hematófagos, entre outros, sendo que representantes desse grupo são, na sua maioria, insetívoros; sendo que sua dieta pode variar conforme os períodos seco e chuvoso. Esses animais atuam no serviço ecológico como dispersores, polinizadores e controladores de pragas no ambiente. O objetivo deste estudo foi caracterizar a dieta de Saccopteryx leptura e avaliar sua variação sazonal no Refúgio de Vida Silvestre Mata do Junco, Capela - Sergipe. A coleta das fezes foi realizada entre outubro de 2015 a abril de 2017, semanalmente, em um abrigo diurno na sede da área. As amostras coletadas foram armazenadas individualmente em eppendorf contendo álcool 70% e posteriormente triadas, sendo os fragmentos de insetos identificados em nível de ordem. A variação sazonal nos itens consumidos foi avaliada através de uma regressão logística simples. Foram coletadas 88 amostras fecais com fragmentos de insetos distribuídos em seis ordens: Hymenoptera (90%), Coleoptera (89%), Diptera (74%), Lepidoptera (58%), Hemiptera (43%) e Blattaria (40%). Para a ordem Coleoptera foram registrados fragmentos de representantes da família Curculionidae, cujos representantes, em geral, são considerados como uma das principais pragas em plantações de cana de açúcar. Sua ocorrência na dieta desse morcego pode estar relacionada ao fato da área de estudo ser adjacente a um canavial. As análises mostraram que não houve diferença no consumo dos insetos entre os períodos seco e chuvoso. Durante o período de estudo, as ordens Hymenoptera, Lepidoptera e Coleoptera foram as mais frequentes e sua presença pode estar atrelada a sua diversidade, condições do clima e disponibilidade no habitat. A dieta de S. leptura na localidade não variou de acordo com a sazonalidade, logo se faz necessário mais estudos envolvendo a dieta dessa espécie que possam complementar conhecimentos sobre o consumo dos itens alimentares em outros habitats e possivelmente a relação com a sazonalidadept_BR
dc.publisher.departmentDECO - Departamento de Ecologia – São Cristóvão - Presencialpt_BR
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA::ECOLOGIA DE ECOSSISTEMASpt_BR
dc.publisher.initialsUniversidade Federal de Sergipept_BR
dc.description.localSão Cristóvão, SEpt_BR
Appears in Collections:Ecologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rafaela_Katiuscia_Santos_Batista.pdf766,56 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.