Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/12444
Tipo de Documento: Dissertação
Título : Juventude e política : conversas com o jovem eleitor de Jair Bolsonaro
Autor : Nascimento, Flávia dos Santos
Fecha de publicación : 30-ago-2019
Director(a): Coelho, Daniel Menezes
Resumen: Em diferentes países do mundo, o aumento das políticas de direita vem se destacando através do fortalecimento de organizações conservadoras, evidente nos Estados Unidos com a eleição de Trump e, com o crescimento de partidos conservadores como na Espanha e Argentina. Desde as manifestações de maio de 2013 às ruas voltaram a serem espaços de fazer política e de luta por direitos. Ao longo desse período de manifestações, ao mesmo tempo, em que surgiram novos movimentos de juventude conservadora, também aparecem novas organizações com pautas progressistas. Com isso, vem o desejo de compreender este fenômeno social que surge a ideia de desenvolver esta pesquisa, e de realizarmos entrevistas com jovens votantes em Bolsonaro, para ouvir o que eles têm a dizer e tentar compreender como é que o jovem, ‘supostamente’ veículo da mudança e do progresso, supostamente progressista quase que por natureza, pode votar em Bolsonaro? O que aconteceu?. Este trabalho foi construído a partir do método de pesquisa em psicanálise, as falas dos jovens foram analisadas através do aporte teórico psicanalítico. Através deste estudo percebemos uma prevalência do uso político do afeto, que marca as eleições de 2018, por um transbordamento de tensões sociais, um clima de politização e descontentamento que emergiu em uma campanha polarizada e radicalizada que permanece latente, assim como uma mobilização afetiva dos eleitores seja pelo discurso de ódio, medo, insegurança ou esperança.
Resumen : In different countries of the world, the rise of right-wing policies has stood out through the strengthening of conservative organizations, evident in the United States with the election of Trump and, with the growth of conservative parties as in Spain and Argentina. Since May 2013, the streets have been once again spaces for political action and for the fight for rights. Throughout this period of demonstrations, while new conservative youth movements emerged, also new organizations with progressive agendas appeared. With this comes the desire to understand this social phenomenon that arises the idea of developing this research, and to conduct interviews with young voters in Bolsonaro, to hear what they have to say and try to understand how the young, ‘supposedly’ vehicle of change and progress, supposedly progressive almost by nature, can vote in Bolsonaro? What the hell happened?. This work was constructed from the method of research in psychoanalysis, the speeches of young people were analyzed through the psychoanalytic theoretical contribution. Through this study we perceive a prevalence of political use of affection, which marks the elections 2018, by an overflow of social tensions, a climate of politicization and discontent that has emerged in a polarized and radicalized campaign that remains dormant, as well as an affective mobilization of voters either by hate speech, fear, insecurity or hope.
Palabras clave : Psicanálise
Afeto
Psicologia
Jovens
Atividades políticas
Escuta
Juventude
Affection
Listening
Youth
Psychoanalysis
Área CNPQ: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma : por
Institución: Universidade Federal de Sergipe
Programa de Posgrado: Pós-Graduação em Psicologia
Citación : NASCIMENTO, Flávia dos Santos. Juventude e política : conversas com o jovem eleitor de Jair Bolsonaro. 2019. 119 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2019.
URI : http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/12444
Aparece en las colecciones: Mestrado em Psicologia

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción Tamaño Formato  
FLAVIA_SANTOS_NASCIMENTO.pdf1,55 MBAdobe PDFVista previa
Visualizar/Abrir


Los ítems de DSpace están protegidos por copyright, con todos los derechos reservados, a menos que se indique lo contrario.