Please use this identifier to cite or link to this item: https://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/13078
Document Type: Tese
Title: Determinantes sociais da saúde e envelhecimento: uma abordagem espacial e temporal da realidade do Brasil e de Sergipe
Other Titles: Social determinants of health and development: a spatial and time approach to Brazil and Sergipe reality
Authors: Duque, Andrezza Marques
Issue Date: 15-Oct-2019
Advisor: Nunes, Marco Antônio Prado
Resumo : Introdução: O envelhecimento é uma realidade mundial e o próximo desafio global de saúde pública. No Brasil, acontece de forma acelerada em contextos desfavoráveis. Esse fato demanda ações nos âmbitos econômico, político, social e de saúde para garantir aos idosos uma vida autônoma e independente, sobretudo diante das diversas desigualdades nas quais estão inseridos. Objetivo: Analisar os padrões e a dinâmica temporal e espacial dos determinantes sociais da saúde e do envelhecimento, no Brasil e em Sergipe. Método: Estudo ecológico com técnicas de análise espacial e temporal, realizado em duas etapas: uma no território brasileiro e outra no estado de Sergipe, tendo os municípios como unidades de análise, 5.565 e 75, respectivamente. Para a primeira foram utilizados dados oriundos dos dois últimos Censos Demográficos e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) nos anos de 1995 até 2012, dos municípios e estados brasileiros. Para a segunda, dados secundários de indicadores sociais, demográficos e de saúde coletados em inquéritos brasileiros dos municípios do estado de Sergipe. Foi analisada a distribuição espacial dos determinantes sociais de saúde e do envelhecimento. A autocorrelação espacial e a correlação entre as variáveis foi testada por meio do Índice de Moran Global (I) e do Índice de Associação Espacial Local (LISA). Para análise espacial foram utilizados os softwares GeoDa, TerraView 4.2.2 e QGIS 2.18.3 e para os modelos de tendência e regressão linear múltipla, o programa R. Resultados: Foi observada autocorrelação espacial significativa quanto à desigualdade de renda, expectativa de vida e taxa de envelhecimento no Brasil. Existem clusters predominantes nas regiões Norte, Nordeste e Sul do país. Os clusters das regiões Norte e Nordeste estiveram associados com maiores desigualdades e piores indicadores. Houve correlação espacial inversa entre desigualdade de renda com a expectativa de vida e com a taxa de envelhecimento. As características de envelhecimento no Brasil apresentaram distribuição não aleatória revelando correlação espacial com a desigualdade de renda. No estado de Sergipe, a região sudeste apresentou clusters com melhores resultados em todos os indicadores e os municípios da região noroeste e extremo leste caracterizaram-se por valores inferiores, evidenciando-os como locais de condições de vida precárias. A razão de dependência elevada, a taxa de analfabetismo em idosos e a taxa de desemprego apresentaram um impacto negativo sobre a expectativa de vida. Conclusão: Houve autocorrelação entre os determinantes sociais e o envelhecimento apontando que quanto piores os indicadores sociais, econômicos e de saúde menores as expectativas de vida e as taxas de envelhecimento. O envelhecimento no Brasil possuiu associação com os determinantes sociais em saúde, sendo a renda um dos determinantes mais relevantes. Diante das disparidades sociais e econômicas no vasto território brasileiro, a análise espacial mostrou ser um contributo significativo para a formulação de políticas públicas que respeitem as peculiaridades locorregionais. Esse reconhecimento aponta para a necessidade de redirecionamento das políticas públicas e formulação de estratégias, visando a redução das desigualdades sociais e na saúde.
Abstract: Introduction: Aging is a worldwide reality and the next global public health challenge. In Brazil, it happens accelerated in unfavorable contexts. This fact demands actions in the economic, political, social and health areas to guarantee the elderly an autonomous and independent life, especially in view of the various inequalities in which they are inserted. Objective: To analyze the patterns and temporal and spatial dynamics of social determinants of health and aging in Brazil and Sergipe. Method: Ecological study with spatial and temporal analysis techniques, carried out in two stages: one in the Brazilian territory and another in the state of Sergipe, with the municipalities as units of analysis, 5,565 and 75, respectively. For the first one, data from the last two Demographic Census and from the National Household Sample Survey (PNAD) were used from 1995 to 2012, from the Brazilian municipalities and states. For the second, secondary data on social, demographic and health indicators collected from Brazilian surveys of the municipalities of the state of Sergipe. The spatial distribution of the social determinants of health and aging was analyzed. Spatial autocorrelation and correlation between variables were tested using the Moran Global Index (I) and the Local Spatial Association Index (LISA). For spatial analysis, the software GeoDa, TerraView 4.2.2 and QGIS 2.18.3 were used and for the models of trend and multiple linear regression, the program R. Results: Significant spatial autocorrelation was observed regarding income inequality, life expectancy and aging rate in Brazil. There are predominant clusters in the North, Northeast and South regions of the country. North and Northeast clusters were associated with higher inequalities and worse indicators. There was an inverse spatial correlation between income inequality with life expectancy and with the aging rate. The characteristics of aging in Brazil showed non-random distribution revealing spatial correlation with income inequality. In the state of Sergipe, the southeastern region had better results clusters in all indicators and the municipalities of the northwest and far east were characterized by lower values, showing them as places of poor living conditions. The high dependency ratio, the illiteracy rate in the elderly and the unemployment rate had a negative impact on life expectancy. Conclusion: There was autocorrelation between social determinants and aging indicating that the worse the social, economic and health indicators the lower life expectancy and aging rates. Aging in Brazil was associated with social determinants in health, with income being one of the most relevant determinants. Given the social and economic disparities in the vast Brazilian territory, spatial analysis proved to be a significant contribution to the formulation of public policies that respect locoregional peculiarities. This recognition points to the need for redirection of public policies and formulation of strategies aimed at reducing social and health inequalities.
Keywords: Determinantes sociais de saúde
Envelhecimento
Sistemas de informação geográfica
Análise espacial em saúde
Social determinants of health
Aging
Geographic information systems
Spatial analysis in health
Subject CNPQ: CIENCIAS DA SAUDE
Language: por
Institution: Universidade Federal de Sergipe
Program Affiliation: Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citation: DUQUE, Andrezza Marques. Determinantes sociais da saúde e envelhecimento: uma abordagem espacial e temporal da realidade do Brasil e de Sergipe. 2019. 99 f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, 2019.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/13078
Appears in Collections:Doutorado em Ciências da Saude

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ANDREZZA_MARQUES_DUQUE.pdf2,32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.