Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/13840
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorPereira, Tiago Damasceno-
dc.date.accessioned2020-12-14T13:14:46Z-
dc.date.available2020-12-14T13:14:46Z-
dc.date.issued2020-10-
dc.identifier.citationPEREIRA, T. D. Da população LGBTQI+ negra, covid-19 e crise da democracia. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE SOCIOLOGIA DA UFS, 3., 2020, São Cristóvão, SE. Anais [...]. São Cristóvão, SE: PPGS/UFS, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/13840-
dc.languageporpt_BR
dc.relation.ispartofAnais do III Seminário Nacional de Sociologia: Distopias dos extremos: sociologias necessáriaspt_BR
dc.subjectLGBTQI+por
dc.subjectNegrospor
dc.subjectCovid-19por
dc.subjectPolítica antidemocráticapor
dc.titleDa população LGBTQI+ negra, covid-19 e crise da democraciapt_BR
dc.typeTrabalhos em Eventospt_BR
dc.identifier.licenseAutorização para publicação no Repositório Institucional da Universidade Federal de Sergipe (RIUFS) concedida pelos editores.pt_BR
dc.description.resumoConsiderando os acontecimentos recentes, tanto no âmbito nacional como internacional, é evidente que, em determinadas sociedades, aja um avanço de atitudes e políticas que ameaçam gravemente ideias fundamentais presentes na base das sociedades democráticas. Por meio da Sociologia, podemos obter maior compreensão dos fenômenos humanos e sociais e adquirir uma base crescente de conhecimento mais sólido acerca desses processos. Assim, este estudo consistiu numa apreciação teórica sobre a atuação dos canais de saúde pública no Brasil, quanto à garantia da proteção aos pacientes em situação de vulnerabilidade social, aqui representados pelos LGBTQI+ negros. O artigo apresenta e analisa, sob a perspectiva metodológica qualitativa categorial subsidiada em Bardin (2004) e Minayo (2010), relatos de pessoas da comunidade LGBTQI+ e da população negra que, nas suas interseccionalidades, sofrem com a deficiência da assistência médico-hospitalar, a qual, em tempos de pandemia, toma-se como acontecimento e dispositivo analítico acerca das relações dinâmicas entre Estado e sociedade. Partindo das contribuições dos estudos interseccionais e seus marcadores sociais, esta pesquisa analisou a política antidemocrática de saúde pública de combate à COVID-19, no Brasil, frente aos grupos minoritários, por meio da abordagem outsider de Elias Nobert. Baseado no perfil das falas coletadas, em fontes online, os dados foram enquadrados em duas categorias: “Indivíduo, sociedade e saúde pública” e “Coronavírus e a urgência do pensamento interseccional”.pt_BR
dc.publisher.initialsPrograma de Pós-Graduação em Sociologia - Universidade Federal de Sergipe (PPGS/UFS)pt_BR
dc.description.localSão Cristóvão, SEpt_BR
Appears in Collections:GT 03 - Processos de identificação e desigualdades nas relações étnico-raciais, intergeracionais e de gênero

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PopulacaoLGBTQINegraCovid-19.pdf229,77 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.