Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/13920
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorMoura Júnior, Alex Nascimento-
dc.date.accessioned2021-02-08T20:39:56Z-
dc.date.available2021-02-08T20:39:56Z-
dc.date.issued2020-03-26-
dc.identifier.citationMOURA JÚNIOR, Alex Nascimento. Minha Casa Minha Vida em Socorro: o protagonismo do mercado imobiliário na produção de empreendimentos fechados do Programa Minha Casa Minha Vida. 2020. 150 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Sergipe, Laranjeiras, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/13920-
dc.languageporpt_BR
dc.subjectArquiteturapor
dc.subjectHabitaçãopor
dc.subjectDireito à moradiapor
dc.subjectMercado imobiliáriopor
dc.subjectNossa Senhora do Socorro (SE)por
dc.titleMinha Casa Minha Vida em Socorro: o protagonismo do mercado imobiliário na produção de empreendimentos fechados do Programa Minha Casa Minha Vidapt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.contributor.advisor1França, Sarah Lúcia Alves-
dc.description.resumoA moradia como direito foi garantida desde 1948 com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, e no Brasil foram criadas inúmeras formas para garanti-la. A institucionalização do direito à moradia e à cidade, ocorreu através da promulgação da Constituição de 1988, até a tentativa de efetivá-lo através da criação de programas habitacionais, que buscavam solucionar o déficit habitacional nas cidades brasileiras. O último, intitulado como Minha Casa Minha Vida, foi criado em 2009 com os objetivos de construir moradias para famílias com renda de 0 a 10 salários mínimos e alavancar a economia em crise, através do fomento da construção civil, sob condução, praticamente do mercado imobiliário, que trata a moradia não como um direito, e sim, como mercadoria. Com isso, o mercado entendido como um dos maiores produtores do espaço urbano, introduz conceitos de novas formas de morar das classes mais altas, para faixas de renda baixa e média em Nossa Senhora do Socorro-SE, município integrante da Região Metropolitana. Assim, apresentou nos últimos anos a chegada de condomínios fechados, principal objeto de segregação social e fragmentação do tecido urbano, marcada pela implementação da recente política habitacional do governo Lula. Correspondem a uma nova forma de moradia fechada intramuros, cujo através das estratégias de marketing imobiliário, o discurso do medo, a fuga do caos urbano, a vida próxima à natureza, difundem a ideia de um “novo jeito de morar” e convencem a população de que aquela, é a melhor opção de moradia em meio à violência nas cidades. Objetivo da pesquisa: analisar as características econômicas e socioespaciais dos empreendimentos fechados do PMCMV em Nossa Senhora do Socorro, partindo da hipótese do protagonismo do mercado imobiliário. Para tanto, a pesquisa foi realizada utilizando-se levantamento bibliográfico, levantamento de informações e dados em consulta a órgãos públicos, aplicação de questionários que abordam os motivos da escolha desses empreendimentos e o protagonismo do mercado imobiliário.pt_BR
dc.publisher.departmentDAU - Departamento de Arquitetura e Urbanismo – Laranjeiras - Presencialpt_BR
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ARQUITETURA E URBANISMOpt_BR
dc.publisher.initialsUniversidade Federal de Sergipept_BR
dc.description.localLaranjeiraspt_BR
Appears in Collections:Arquitetura e Urbanismo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alex_Nascimento_Moura_Júnior.pdf6,46 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.