Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/15716
Document Type: Dissertação
Title: Avaliação da resposta de monooxigenases à exposição ao repelente DEET em população de Aedes aegypti resistente a inseticidas
Authors: Pimentel, Antoniele dos Santos
Issue Date: 18-Jul-2019
Advisor: Santos, Roseli La Corte dos
Resumo : Arboviroses transmitidas por vetores representam uma das principais causas de morbimortalidade humana, entre elas as transmitidas por mosquitos Aedes aegypti, como a dengue, chikungunya, zika e febre amarela. No Brasil, medidas de controle vetorial são utilizadas há décadas, principalmente através do uso de inseticidas. Alternativas convencionais de proteção individual são utilizadas como formas coadjuvantes para proteção contra esses vetores, entre elas o uso de repelentes tópicos, como o DEET (N, N-dietil-meta-toluamida). Atualmente, o DEET é classificado como repelente padrão-ouro devido sua eficácia e tempo de cobertura, entretanto, seu mecanismo de ação ainda não foi elucidado. Entre as diferentes vias, estudos tem mostrado uma possível ação do DEET na inibição de enzimas do complexo P450. O presente estudo teve como objetivo quantificar a variação de monooxigenases (P450) numa população resistente a inseticidas. Foram realizados bioensaios com o larvicida temephos, o adulticida deltametrina e o análogo de hormônio juvenil, pyriproxyfen em amostras de A. aegypti proveniente do município de Laranjeiras, Sergipe, coletados entre novembro e dezembro de 2018. Todos os ensaios realizados foram pareados com a linhagem Rockefeller, padrão de referência para suscetibilidade a inseticidas. Para a quantificação do grupo heme, os mosquitos foram expostos a DEET (20%), seguido de intervalo de descanso pós-exposição de 0h, 6h, 12h e 24h. A população de campo apresentou resistência moderada ao temephos (RR50 5,89), suscetibilidade a ser confirmada ao deltametrina (taxa de mortalidade >80%), e suscetibilidade ao pyriproxyfen. A quantidade basal de enzimas do P450 foi maior na população de campo em relação à linhagem de referência. Esses valores podem ter relação com a elevação da atividade enzimática que podem estar presentes em populações de campo previamente resistentes a xenobióticos metabolizados por monooxigenases. Houve variação da quantidade de P450 ao longo do tempo de observação, independente da exposição ao DEET. Este estudo relevou que a população de campo apresenta perfil de resistência a diferentes inseticidas, quantidade basal elevada de P450 que varia ao longo do tempo, independente do repelente, no entanto de forma mais acelerada que na linhagem Rockefeller.
Keywords: Vetores
Controle de vetores
Arboviroses
Repelentes
DEET
Inseticidas
Monooxigenases
Controle vetorial
Arboviroses
Repelentes
Enzimas P450
Monooxigenases
Subject CNPQ: CIENCIAS BIOLOGICAS::PARASITOLOGIA
Sponsorship: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES
Language: por
Institution: Universidade Federal de Sergipe
Program Affiliation: Pós-Graduação em Biologia Parasitária
Citation: PIMENTEL, Antoniele dos Santos. Avaliação da resposta de monooxigenases à exposição ao repelente DEET em população de Aedes aegypti resistente a inseticidas. 2019. 70 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Parasitária) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2019.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/15716
Appears in Collections:Mestrado em Biologia Parasitaria

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ANTONIELE_SANTOS_PIMENTEL.pdf630,73 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.