Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/15816
Document Type: Dissertação
Title: Marcas de hesitação na fala de crianças com autismo: construção de sentidos sob o paradigma textual-interativo
Authors: Santos, Katiane Silva
Issue Date: 27-Aug-2019
Advisor: Lima, Geralda de Oliveira Santos
Resumo : Buscando referências de estudos sobre o fenômeno da linguagem concernentes ao Transtorno do Espectro Autista (TEA), observamos uma quantidade escassa de publicações na área, especialmente, no que tange à hesitação, dado que, na grande maioria, o processamento discursivo, dentro desse espectro, tem sido tratado com um olhar patologizante. Diante disso, o objetivo geral desta pesquisa é analisar, à luz da perspectiva textual-interativa, marcas de hesitação na construção de textos falados produzidos, em situações concretas de interlocução, por crianças com Transtorno do Espectro Autista. Em consonância com Marcuschi (1999, p. 159), adotamos, nesta investigação, a posição de que a hesitação “é parte da competência comunicativa em contextos interativos de natureza oral e não uma disfunção do falante”. Essas marcas se manifestam por meio de diferentes recursos, já que elas têm função cognitiva (KOCH, 2016) de ganhar maior tempo para o planejamento e verbalização do texto (visto aqui como um processo de interação social), no sentido de dar continuidade ao que está sendo dito. Como hipótese, apresenta-se o fato de que embora os textos produzidos na oralidade, em situações sociocomunicativas, por crianças com autismo revelem aspectos discursivos como a hesitação, a repetição e a interrupção, a construção de sentidos fica evidente. Para tanto, procuramos observar o modo como essas crianças com TEA, em atividades sociocognitivodiscursivas, construíam textos falados na interação com profissionais envolvidos no processo comunicativo. A fim de realizar tal proposta, construímos um corpus a partir dos textos orais produzidos por essas crianças, tendo como suporte as observações feitas durante as nossas visitas ao Centro de Integração Raio de Sol (CIRAS) e como base uma metodologia qualitativa, interpretativa e descritiva. Inicialmente, observamos 10 crianças atendidas no Centro, dentre as quais foram escolhidas 5 com diagnóstico de TEA. Utilizamos como instrumentos a observação direta, anotações no diário de campo, questionários e gravação de áudio. As gravações foram transcritas e analisadas de acordo com as normas do Projeto de Norma Urbana Oral Culta do Rio de Janeiro. Para fundamentar este estudo, no que tange ao autismo, apoiamo-nos no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM), Orrú (2012; 2016), Klin (2006), Bosa (2006), dentre outros; no que se refere aos estudos textual-discursivos tomamos como alicerce as propostas analítico-descritivas em Linguística de Texto a partir das contribuições de Koch (2015; 2016), Jubran (2015; 2017), Lima e Santana (2016), Cavalcante (2017) e Marcuschi (2015a). Os resultados finais da nossa pesquisa confirmam o fato de que os textos falados, ou seja, produzidos na oralidade, em situações discursivo-interativas, por crianças com Transtorno do Espectro Autista, constroem sentidos, mesmo com as recorrências das marcas de hesitação. Um dos fenômenos mais interessantes da linguagem humana e um dos que mais interferem na construção de sentidos e compreensão de textos falados.
Abstract: Looking for references from studies on the language phenomenon concerning Autistic Spectrum Disorder (ASD), we observed a scarce number of publications in the area, especially regarding hesitation, since, in the vast majority, discursive processing within this spectrum, is treated with a pathologizing look. Given this, the general objective of this research is to analyze, in the light of the textual-interactive perspective, hesitation marks in the construction of spoken texts produced, in concrete interlocution situations, by children with Autistic Spectrum Disorder. In line with Marcuschi (1999, p. 159), we adopted in this research the position that hesitation “is part of communicative competence in interactive contexts of an oral nature and not a dysfunction of the speaker”. These marks manifest themselves through different resources, since they have a cognitive function (KOCH, 2016) to gain more time for text planning and verbalization (seen here as a process of social interaction), in order to continue what is being said. As a hypothesis, we present the fact that although the texts produced in orality, in socio-communicative situations, by children with autism reveal discursive aspects such as hesitation, repetition and interruption, the construction of meaning is evident. Therefore, we tried to observe the way these children with ASD, in socio-cognitive-discursive activities, constructed spoken texts in the interaction with professionals involved in the communicative process. In order to realize this proposal, we built a corpus from the oral texts produced by these children, based on the observations made during our visits to the Sun Ray Integration Center (CIRAS); Based on a qualitative, interpretative and descriptive methodology, we observed 10 children attended at this Center, among which 5 were chosen with a diagnosis of ASD. We use as instruments direct observation, notes in the field diary, questionnaires and audio recording. The recordings were transcribed and analyzed according to the rules of the Rio de Janeiro Cultured Oral Urban Standard Project. To support this study, regarding autism, we rely on the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM), Orrú (2012; 2016), Klin (2006), Bosa (2006), among others; Regarding the textual-discursive studies we take as a foundation the analyticaldescriptive proposals in Text Linguistics from the contributions of Koch (2015; 2016), Jubran (2015; 2017), Lima and Santana (2016), Cavalcante (2017). ) and Marcuschi (2015a). The final results of our research confirm the fact that spoken texts, that is, produced orally, in discursive-interactive situations, by children with Autistic Spectrum Disorder, construct meanings, even with the recurrence of hesitation marks. One of the most interesting phenomena of human language and one of the most interfering in the construction of meanings and understanding of spoken texts.
Keywords: Linguagem e línguas
Interação social
Textos
Análise do discurso
Linguagem
Autismo
Hesitação
Texto falado
Interação
Language
Autism
Hesitation
Oral text
Interaction
Subject CNPQ: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES
Sponsorship: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES
Language: por
Institution: Universidade Federal de Sergipe
Program Affiliation: Pós-Graduação em Letras
Citation: SANTOS, Katiane Silva. Marcas de hesitação na fala de crianças com autismo: construção de sentidos sob o paradigma textual-interativo. 2019. 106 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2019.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/15816
Appears in Collections:Mestrado em Letras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
KATIANE_SILVA_SANTOS.pdf2,24 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.