Please use this identifier to cite or link to this item: https://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/4006
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorDourado, Solano Savio Figueiredopt_BR
dc.date.accessioned2017-09-26T12:31:25Z-
dc.date.available2017-09-26T12:31:25Z-
dc.date.issued2015-03-02-
dc.identifier.citationDOURADO, Solano Savio Figueiredo. Efeito do enriquecimento ambiental, associado ou não a atividade física, nas funções nociceptiva, ambulação e controle motor em modelo animal de dor crônica muscular difusa. 2015. 55 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Fisiológicas) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.por
dc.identifier.urihttps://ri.ufs.br/handle/riufs/4006-
dc.description.abstractFibromyalgia is a complex syndrome with unknown etiology, characterized by the presence of chronic widespread musculoskeletal pain, having the reduction of the physical/ functional performance as a major comorbidity. Pharmacological treatment of fibromyalgia presents limited effectiveness, making it important to use non-pharmacological therapies, such as physical activity, cognitive behavioral therapy and distracting techniques. The qualification of the environment and the AF has been associated with the treatment of conditions that increase the peripheral and central nociceptive activity. This study proposes the investigation of environmental enrichment (EE), a technique based on physical, sensory and cognitive stimulation, and physical activity (PA) as strategies for fibromyalgia prevention. To this end, 24 male Wistar rats were divided into five intervention groups: 1) EE, 2) PA, 3) EE + PA and 4) control, where they were maintained for 4 weeks. After this time, was diffuse chronic muscle pain induced by two injections of acidic saline in the left gastrocnemius muscle. We evaluated the mechanical paw withdrawal threshold (von Frey electronic), temperature threshold (Hot Plate), neuromuscular activity (Rod Route), ambulation (number of quadrants) through the Open Field in six stages: basal after the 1st, 2nd, 3rd and 4th weeks and 24 hours after induction of diffuse chronic pain model. The animals kept with environmental enrichment and physical activity (EE + PF) showed a significant increase in mechanical and thermal thresholds after the third (P<0.001) and second (P<0002) weeks, respectively, when compared to the other groups. This increase remained at the post-induction assessment, while the other groups showed a significant decrease (P<0.01), suggesting the development of hyperalgesia. In the engine testing, EA + FA group showed a significant increase in neuromuscular activity from the first week compared to the other groups (P<0.01), keeping the increase even after induction, while in the other groups there was a significant decrease in performance (P<0.01), whereas in other groups, there was a significant reduction in weight gain (P<0.01). In the Open Field, a significant increase in the total ambulation in AE + AF group from the 1st week (P<0.01) compared to the other groups. These results suggest an association between environmental enrichment and physical activity as a preventive strategy for chronic musculoskeletal pain and optimization of motor control in a model of diffuse chronic muscle pain.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Sergipepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectFibromialgiapor
dc.subjectDorpor
dc.subjectHiperalgesiapor
dc.subjectAmbiente enriquecidopor
dc.subjectAtividade físicapor
dc.subjectFibromyalgiaeng
dc.subjectPaineng
dc.subjectHyperalgesiaeng
dc.subjectEnriched Environmenteng
dc.subjectPhysical activityeng
dc.titleEfeito do enriquecimento ambiental, associado ou não a atividade física, nas funções nociceptiva, ambulação e controle motor em modelo animal de dor crônica muscular difusapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4031925891638935por
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9819654988177433por
dc.contributor.advisor1Santana, Josimari Melo dept_BR
dc.description.resumoA fibromialgia é uma síndrome complexa, com etiologia indefinida, caracterizada pela presença de dor musculoesquelética crônica generalizada, tendo, como uma das principais comorbidades, a redução do desempenho físico/funcional. O tratamento farmacológico da fibromialgia apresenta efetividade limitada, tornando importante a utilização de terapias não farmacológicas, destacando-se a atividade física (AF), terapia cognitivo-comportamental e técnicas distratoras. A qualificação do ambiente e a AF tem sido associadas ao tratamento de doenças que aumentam a atividade nociceptiva periférica e central. Assim, o presente estudo propõe a investigação do enriquecimento ambiental (EA), técnica baseada em estimulação física, sensorial e cognitiva, e indução à atividade física (AF) voluntária como recursos para prevenção da fibromialgia em um modelo experimental. Para isso, 24 ratos Wistar machos foram divididos em quatro grupos: (1) EA, (2) AF, (3) EA + AF e (4) controle, mantidos nesses protocolos por 4 semanas. Após este período, foi induzida dor muscular crônica difusa através de dupla injeção de salina ácida no músculo gastrocnêmio esquerdo. Foram avaliados o limiar mecânico de retirada da pata (von Frey eletrônico), limiar térmico (Hot Plate), atividade neuromuscular (Rota Rod), ambulação (nº de quadrantes) através do Campo Aberto, em seis momentos: basal, após a 1ª, 2ª, 3ª e 4ª semanas e 24 horas após indução do modelo de dor crônica difusa. Os animais mantidos com enriquecimento ambiental e atividade física (EA+AF) apresentaram aumento significativo do limiar mecânico e da latência térmica a partir da terceira (P<0,001) e segunda (P<0,002) semanas, respectivamente, quando comparado aos outros grupos. Esse aumento se manteve no momento pós-indução, enquanto nos outros grupos houve uma redução significativa (P<0,02), sugerindo o desenvolvimento de hiperalgesia. Já no teste motor, o grupo AE+AF apresentou aumento significativo na atividade neuromuscular a partir da primeira semana quando comparado aos outros grupos (P<0,01), mantendo esse aumento mesmo após a indução, enquanto nos outros grupos houve uma redução significativa (P<0,02). No Campo Aberto, houve aumento significativo na ambulação total no grupo AE+AF a partir da 1ª semana (P<0,01) em comparação aos demais grupos. Esses resultados sugerem a associação entre o enriquecimento ambiental e a atividade física como uma estratégia preventiva da dor musculoesquelética crônica e otimização do controle motor em um modelo de dor crônica muscular difusa.por
dc.publisher.programPós-Graduação em Ciências Fisiológicaspor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::FISIOLOGIApor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSpor
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Fisiológicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SOLANO_SAVIO_FIGUEIREDO_DOURADO.pdf912,33 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.