Please use this identifier to cite or link to this item: https://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/4018
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorRocha, Irla Suellen da Costa-
dc.date.accessioned2017-09-26T12:34:36Z-
dc.date.available2017-09-26T12:34:36Z-
dc.date.issued2017-04-18-
dc.identifier.citationROCHA, Irla Suellen da Costa. Museu, cultura e criatividade : o Museu da Gente e as políticas públicas no Brasil. 2017. 137 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2017.por
dc.identifier.urihttps://ri.ufs.br/handle/riufs/4018-
dc.description.abstractThe changes in culture public policies between 2003 and 2014, especially regarding to museums national policy, bring up the semantics moves about museum and the historical and cultural heritage about the question of creativity. This research uses the Museu da Gente Sergipana Governador Marcelo Déda (MGS) as empirical object and locus of materialization of the cultural guidelines proposed by the state government in conformity to federal government policies through the national museums policies. So, in order to locate our object amongst this discussion, it was necessary to do a conceptual reconstitution of museum institutions on the basis of the proposals of Oliveira (2008), Choay (2008), Funari e Pelegrini (2008 e 2009) who make an approach through politics, memory and history. Therefrom, what we propose is to locate the museums inside the perspective of the Creative Economy, which, by the way, lead us to the economic dimension proposed by Lula (2003-2010) and Dilma (2011-2014) public policies, approached her by the sight of the Political Economy of Culture and Communication. At last, so we focused on Sergipe's museum policies and analyzed the MGS schedule because it is considered one of the most important museums in the state and in the country due to its expography that uses technological resources in order to narrate the material, immaterial and environmental culture of Sergipe. The results points that, in Sergipe, the MGS cant's stand the idea of being the driving force of a productive chain in local economy because the museums in general deal with inherent paradigms such as gratuity, educational bias and an institutional effort to the cultural formation of the population. So, we might affirm that our object is a space of dissemination of ideas based on the political standpoint of Sergipe identity as part of the formation of local consumers.eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Sergipepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectComunicaçãopor
dc.subjectMuseuspor
dc.subjectPolíticas públicas para museuspor
dc.subjectEconomia dos museuspor
dc.subjectMuseu da Gente Sergipanapor
dc.subjectMuseum public policieseng
dc.subjectEconomics of museumeng
dc.titleMuseu, cultura e criatividade : o Museu da Gente e as políticas públicas no Brasilpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8902752664461868por
dc.contributor.advisor1Santos, Verlane Aragão-
dc.description.resumoAs mudanças nas políticas públicas de cultura entre 2003 e 2014, especialmente no que tange à política nacional de museus, trazem à baila os movimentos semânticos sobre os museus e o patrimônio histórico e cultural acerca do debate da criatividade. A pesquisa utiliza o Museu da Gente Sergipana Governador Marcelo Déda (MGS) como objeto empírico e locus de materialização das políticas culturais propostas pelo governo estadual, em consonância com as diretrizes estabelecidas pelo governo federal através da política nacional de museus. Para situar o museu dentro da temática das políticas públicas foi necessário fazer uma reconstituição conceitual sobre as instituições museais a partir da proposta de Oliveira (2008), Choay (2008), Funari e Pelegrini (2008 e 2009) que abordam a temática na relação entre política, memória e história. A partir desse ponto, o que propomos é situar os museus no aspecto da economia criativa que remete à ideia da dimensão econômica proposta pelas políticas públicas dos governos Lula (2003-2010) e Dilma (2011-2014) através da abordagem crítica da Economia Política da Comunicação da Cultura. Por último, então fizemos um recorte sobre a política para museus em Sergipe e analisamos a programação do MGS por ser um dos museus mais importantes de Sergipe e do Brasil devido à expografia que utiliza-se de recursos tecnológicos para narrar a cultura material, imaterial e ambiental do estado. Os resultados encontrados apontam que, em Sergipe, o MGS não suporta ainda a ideia de gerar um serviço que possa movimentar a cadeia produtiva da economia local, uma vez que os museus lidam com paradigmas inerentes à sua composição institucional tal como a gratuidade, o caráter educacional e empreendimento para a formação cultural da população. O que nos permite afirmar que o nosso objeto constitui-se como um espaço de disseminação de ideias alicerçadas na visão política sobre a identidade sergipana como constitutivo para a formação de um consumidor local.por
dc.publisher.programPós-Graduação em Comunicaçãopor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAOpor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSpor
Appears in Collections:Mestrado em Comunicação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
IRLA_SUELLEN_COSTA_ROCHA.pdf2,79 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.