Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/4019
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorFonseca, Sâmia Lorena Morais da-
dc.date.accessioned2017-09-26T12:34:40Z-
dc.date.available2017-09-26T12:34:40Z-
dc.date.issued2017-04-25-
dc.identifier.citationFONSECA, Sâmia Lorena Morais da. Do cotidiano ao artifício : estratégias para produção de emoção em filmes da nova geração do cinema de horror nacional. 2017. 110 f. Dissertação (Pós-Graduação em Comunicação) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2017.por
dc.identifier.urihttps://ri.ufs.br/handle/riufs/4019-
dc.description.abstractThe following dissertation is devoted to the new horror movies produced in Brazil after 2000’s. Special attention will be given to their affective dimension, focusing on the relation between the emotional expression of its characters and the spectators reaction. Among typical strategies programmed in these films, we find a distinct process of artificialization of daily life, through the deliberate use of conventions proper to the horror genre. The films will be approached through a a cognitive perspective, developed in film studies from the 90s. In order to analyze each film, we will depart from the methodological perspective of the Film Poetics, according to which a cinematographic work is an expressive composition that causes effects in the spectator. Four films were analyzed, (one feature film and three short films): Quando eu era vivo (2014), Vinil Verde (2004), O Duplo (2012) and Estátua (2014).eng
dc.description.sponsorshipFundação de Apoio a Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe - FAPITEC/SEpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Sergipepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectComunicaçãopor
dc.subjectPoéticapor
dc.subjectFilmes de terrorpor
dc.subjectCinema e linguagempor
dc.subjectLinguagens e emoçõespor
dc.subjectCinemapor
dc.subjectEmoçãopor
dc.subjectHorrorpor
dc.subjectCognitivismopor
dc.subjectEmotioneng
dc.subjectPoeticeng
dc.subjectCognitivismeng
dc.titleDo cotidiano ao artifício : estratégias para produção de emoção em filmes da nova geração do cinema de horror nacionalpor
dc.typeDissertaçãopor
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0752001454125147por
dc.contributor.advisor1Schneider, Greice-
dc.description.resumoEste texto dedica-se ao estudo da produção de afetos no novo cinema brasileiro de horror pós anos 2000, em especial à relação existente entre a expressão emocional de seus personagens e a reação da apreciação dos efeitos programados no texto fílmico, através de um processo de artificialização do cotidiano através do uso deliberado de convenções do gênero horror. A pesquisa tem como pressuposto uma perspectiva cognitivista, desenvolvida para o cinema a partir dos anos 90, e baseiase na perspectiva teórico-metodológica da Poética do filme, que entende uma obra cinematográfica como uma composição expressiva em busca de causar efeitos no espectador, percebendo a apreciação como uma experiência subjetiva em três dimensões: cognitiva, sensorial e emocional. A junção das abordagens teórica e metodológica resultou na execução de exercícios de análises fílmicas e na observação da programação emocional elaborada nas obras cinematográficas do horror brasileiro. Foram analisados quatro filmes do gênero horror, sendo um longametragem e três curtas-metragens: Quando eu era vivo (2014), Vinil Verde (2004), O Duplo (2012) e Estátua (2014). As análises permitiram identificar certa padronização de procedimentos estratégicos do cinema brasileiro de horror em sua função de convocar emoções.por
dc.publisher.programPós-Graduação em Comunicaçãopor
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAOpor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSpor
Appears in Collections:Mestrado em Comunicação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SAMIA_LORENA_MORAIS_FONSECA.pdf2,2 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.