Please use this identifier to cite or link to this item: https://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/4962
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSantos, Juviane Menezes dos-
dc.date.accessioned2017-09-26T17:59:52Z-
dc.date.available2017-09-26T17:59:52Z-
dc.date.issued2017-02-21-
dc.identifier.citationSANTOS, Juviane Menezes dos. Efeito do método pilates sobre as variáveis hemodinâmicas e da creatina quinase em mulheres hipertensas. 2017. 59 f. Dissertação (Pós-Graduação em Educação Física) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2017.por
dc.identifier.urihttps://ri.ufs.br/handle/riufs/4962-
dc.description.abstractIntroduction: The hypertension is a systemic dysfunction that changes several terms metabolic conditions, among them: an increase in blond pressure, an increase in the enzymatic activity of creatine kinase. Physical exercise has been widely used in the control of these alterations the effect of the Pilates method on hemodynamic variables and creatine kinase in hypertension women. Objective: To evaluate the effect of the Pilates method on hemodynamic variables and creatine kinase in hypertensive women. Method: 30 hypertensive women (54.09 ± 5.71 years) and 15 normotensive women (49.5 ± 6.64 years) underwent 24 sessions of Pilates, twice a week with a duration of 60 minutes each session. They were measured before and after the end of each session, blood pressure and heart rate. For the CK analysis, blood collection was performed 72 hours before the start of physical training and 72 hours after the 24th session of Pilates. In the analysis of the data for comparison of the groups, two-way ANOVA was used for repeated measurements and the Student's t-test for non-paired samples. Results: There was no significant difference in blood pressure and heart rate for both groups (p> 0.05), however, in the CK analysis a significant difference was found between the group of hypertensive women (p = 0.0218).Conclusion: The method pilates did not interfered in the BP and HR of both groups, hoverer, it decrease in the level of creatine kinase in the group of hypertensive women.eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Sergipepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectEducação físicapor
dc.subjectExercícios físicos para mulherespor
dc.subjectMétodo pilatespor
dc.subjectHipertensãopor
dc.subjectCreatina quinasepor
dc.subjectExercício físicopor
dc.subjectPhysical exerciseeng
dc.subjectPilates methodeng
dc.subjectHypertensioneng
dc.subjectCreatine kinaseeng
dc.titleEfeito do método pilates sobre as variáveis hemodinâmicas e da creatina quinase em mulheres hipertensaspor
dc.typeDissertaçãopor
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4919159321436146por
dc.contributor.advisor1Wichi, Rogério Brandão-
dc.description.resumoIntrodução: A hipertensão é uma disfunção sistêmica que altera várias condições metabólicas, entre elas: o aumento da pressão arterial, aumento da frequência cardíaca e aumento da atividade enzimática da creatina quinase. O exercício físico tem sido bastante utilizado no controle dessas alterações e o método Pilates tem se mostrado benéfico no tratamento e prevenção dessas alterações. Objetivo: Avaliar o efeito do método Pilates sobre as variáveis hemodinâmicas e da creatina quinase em mulheres hipertensas. Método: 30 mulheres hipertensas (54,09 ± 5,71anos) e 15 normotensas (49,5 ± 6,64 anos) foram submetidas a 24 sessões de Pilates, 2 vezes por semana com duração de 60 minutos cada sessão. Foram medidas antes e logo em seguida o termino de cada sessão, a pressão arterial e a frequência cardíaca. Para a análise da CK foi realizada uma coleta de sangue 72 horas antes do início do treinamento físico e 72 h após a 24ª sessão de Pilates. Na análise dos dados para comparação dos grupos foi utilizado ANOVA two way para medidas repetidas e o teste T de Student para amostras não pareadas. Resultado: Não foi encontrada diferença significativa na pressão arterial e frequência cardíaca para ambos os grupos (p>0,05), entretanto, na análise da CK foi encontrada diferença significativa entre o grupo de mulheres hipertensas (p =0,0218). Conclusão: O método pilates não interferiu na PA e FC de ambos os grupos avaliados, entretanto, diminuiu o nível da creatina quinase no grupo das mulheres hipertensas.por
dc.publisher.programPós-Graduação em Educação Físicapor
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICApor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSpor
dc.contributor.advisor-co1Oliveira, Evaleide Diniz de-
Appears in Collections:Mestrado em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JUVIANE_MENEZES_SANTOS.pdf1,35 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.