Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/6334
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorReis, Igor Macedo-
dc.date.accessioned2017-09-27T14:13:33Z-
dc.date.available2017-09-27T14:13:33Z-
dc.date.issued2016-06-11-
dc.identifier.citationREIS, Igor Macedo. Na rota dos calçados : a Vulcabrás Azaléia em Sergipe. Um estudo das transformações no mundo do trabalho. 2016. 123 f. Dissertação (Pós-Graduação em Sociologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2016.por
dc.identifier.urihttps://ri.ufs.br/handle/riufs/6334-
dc.description.abstractThis work aimed to analyze the mobility of the shoe company Vulcabrás Azaleia, its historical origin and its development until the arrival in Sergipe and the closure of three of its four plants in the state (Carira, Lagarto and Ribeirópolis). We examine the changes in the labor market and the extent to which they corresponded (or not) for the expansion and retraction of the footwear industry in Sergipe. Theoretical issues discussed included: an analysis of class work; forms of production relation, with Fordism and the "flexible accumulation" as analysis parameters. In addition, we made use of analytical category Structural Crisis developed by István Mészáros, which enabled us to understand why the closure of factories and consequently unemployment that reached Azaleia workers inside Sergipe. It is a qualitative research, carried out through semi-structured interviews, field notes and documentary research that enabled the construction of empirical corpus, in which we highlight some results: political demobilization; socio-economic impacts; formation of a working class just to leave the field. Concluding that the mobility of capital economically enhances areas where the industry did not exist, and at the same time founded a mass of workers increasingly precarious, by factors of its own genesis as the lack of a union tradition, low contingent education and state aid to developers of policies for private capital to the detriment of the interests of workers.eng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Sergipepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectSociologiapor
dc.subjectSociologia industrialpor
dc.subjectSociologia do trabalhopor
dc.subjectDesempregopor
dc.subjectIndústrias -- Sergipepor
dc.subjectCalçados -- Indústria -- Sergipepor
dc.subjectIndústria calçadistapor
dc.subjectMudança socialpor
dc.subjectCrise estruturalpor
dc.subjectDesemprego estruturalpor
dc.subjectMobilidade de capitalpor
dc.subjectTrabalhopor
dc.subjectTransformaçõespor
dc.subjectStructural crisiseng
dc.subjectStructural unemploymenteng
dc.subjectMobility of capitaleng
dc.subjectLaboreng
dc.subjectTransformationeng
dc.titleNa rota dos calçados : a Vulcabrás Azaléia em Sergipe. Um estudo das transformações no mundo do trabalhopor
dc.typeDissertaçãopor
dc.contributor.advisor1Silva, Tânia Elias Magno da-
dc.description.resumoEste trabalho teve como objetivo uma análise da mobilidade da empresa de calçados Vulcabrás Azaleia, sua origem histórica, seus desdobramentos até a chegada em Sergipe e o fechamento de três das suas quatro unidades fabris no Estado (Carira, Lagarto e Ribeirópolis). Examinamos as transformações no mundo do trabalho e até que ponto elas corresponderam (ou não) para a expansão e retração do setor industrial calçadista em Sergipe. Foram abordados como temas teóricos: a análise da categoria trabalho; as formas de relação de produção, tendo o Fordismo e a “acumulação flexível” como parâmetros de análises. Ademais, fizemos uso da categoria analítica Crise Estrutural desenvolvida por István Mészáros, que nos possibilitou a entender o porquê do fechamento das fábricas e, consequentemente, o desemprego que atingiu os trabalhadores da Azaleia no interior de Sergipe. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada através de entrevistas semiestruturadas, anotações de campo e pesquisa documental que possibilitaram a construção do corpus empírico, em que podemos destacar alguns resultados: desmobilização política; impactos socioeconômicos; formação de uma classe trabalhadora recém-saída do campo. Concluindo-se que a mobilidade de capital potencializa economicamente regiões em que o setor industrial não existia, e ao mesmo tempo funda uma massa de trabalhadores cada vez mais precarizada, por fatores da sua própria gênese, como a falta de uma tradição sindicalista, a baixa escolaridade contingencial e a ajuda do Estado como fomentador de ppor
dc.publisher.programPós-Graduação em Sociologiapor
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIApor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFSpor
Appears in Collections:Mestrado em Sociologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
IGOR_MACEDO_REIS.pdf1,72 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.