Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/7202
Tipo de Documento: Dissertação
Título: Qualidade de vida e depressão em docentes da área da saúde do Campus de São Cristovão da Universidade Federal de Sergipe
Título(s) alternativo(s): Quality of life and depression in teachers in the Health Area in the São Cristóvão Campus of the Federal University of Sergipe
Autor(es): Andrade, Viviane Freitas
Data do documento: 19-Ago-2016
Orientador: Aragão, José Aderbal
Resumo: A docência superior é responsável pela formação de profissionais das diversas áreas do conhecimento, no entanto, exercer o magistério é uma função antiga e os problemas gerados também a acompanham. Nesse sentido, o acúmulo e variedade de suas funções podem desencadear sobrecarga e torná-los susceptíveis ao estresse laboral, apontado como fator de risco para depressão. Nessa vertente, a prática dos docentes da área da saúde está duplamente sujeita a situações de desgaste, visto que ele é gerado pela necessidade que o docente tem em ser cuidador durante o processo de ensino aprendizagem. A depressão é uma síndrome caracterizada por alterações do humor que compromete ainda a qualidade de vida (QV). O objetivo geral do estudo foi Avaliar a QV e depressão em docentes da área da Saúde do Campus São Cristóvão da UFS. Trata-se de um estudo descritivo, de corte transversal, com abordagem quantitativa. A amostra por conveniência foi composta por 146 docentes. Foram utilizados três instrumentos de coleta de dados, o Whoqol-Bref, o inventário de depressão de Beck e um questionário sociodemográfico elaborado pelos pesquisadores. A coleta ocorreu no período de fevereiro a novembro de 2015. Os dados foram analisados de forma descritiva e analítica. Os resultados demonstram que 58,2% dos pesquisados são do gênero feminino, com média de idade de 44,44 anos, 54,8% da raça branca, 63% casados, 56,16% doutores, 52,05% dedicação exclusiva, 70,5% insatisfeitos com as condições de trabalho, 78,8% insatisfeitos com remuneração salarial, 68,5% praticam atividade física e 98% praticam atividades de lazer. Os resultados das duas questões gerais do Whoqol-Bref mostraram que a maior parte dos docentes têm percepção positiva da sua QV (84,9%) e estavam satisfeitos com sua saúde (67,8%). A prevalência de docentes com depressão foi de 29,5%. Foi possível concluir que, os docentes apresentaram em maior escala satisfação com sua QV e saúde. No entanto, a prevalência de depressão foi alta e houve associação com a QV, insatisfação das condições de trabalho e atividades de lazer, portanto, sugere que a depressão pode interferir negativamente na QV dos indivíduos, a insatisfação com as condições de trabalho pode estar associada ao desenvolvimento ou agravamento da doença, em contra partida, os resultados apontam para um possível efeito protetor que as atividades de lazer oferecem a saúde mental.
Abstract: The teaching profession is responsible for training professionals from various fields of knowledge; however, exercising the magisterium is an old function and problems generated also have followed it. In this sense, the accumulation and variety of its functions can trigger overload and make them susceptible to work-related stress, identified as a risk factor for depression. In this aspect, the practice of health care teachers are doubly subject to emotional distress situations, since it is generated by the need that the teacher has to be caregiver during the process of teaching and learning. Depression is a syndrome characterized by mood swings that still compromises the quality of life (QoL). The overall objective of the study was to assess the QoL and depression in teaching in the area of Health in the São Cristóvão Campus at UFS. This is a descriptive, cross-sectional study, with a quantitative approach. The convenience sample consisted of 146 teachers. We used three data collection instruments, the Whoqol-Bref, Beck Depression Inventory and a sociodemographic questionnaire prepared by the researchers. The collecting took place from February to November 2015. The data were analyzed descriptively and analytically. The results show that 58.2% of respondents are female, with a mean age of 44.44 years old, 54.8% Caucasian, 63% married, 56.16% doctors, 52.05% full-time commitment, 70.5% dissatisfied with working conditions, 78.8% dissatisfied with pay, 68.5% practice physical activity and 98% practice leisure activities. The results of two general questions of the Whoqol-Bref showed that most of the teachers have positive perception of their QoL (84.9%) and were satisfied with their health (67.8%). The prevalence of teachers with depression was 29.5%. It was concluded that the teachers presented, on a larger scale, satisfaction with their QoL and health. However, the prevalence of depression was high and was associated with QoL, dissatisfaction of working conditions and leisure activities. Therefore, it suggests that depression can have a negative effect on the QoL of individuals, dissatisfaction with working conditions may be associated the development or worsening of disease, in against departure, the results point to a possible protective effect of leisure activities offer mental health.
Palavras-chave: Qualidade de vida no trabalho
Depressão mental
Ensino superior
Transtorno depressivo
Quality of Life
Depressive disorder
College education
Idioma: por
Sigla da Instituição: UFS
Programa de Pós-graduação: Pós-Graduação em Ciências Aplicadas à Saúde
Citação: ANDRADE, Viviane Freitas. Qualidade de vida e depressão em docentes da área da saúde do Campus de São Cristovão da Universidade Federal de Sergipe. Lagarto, SE, 2016. 87 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Aplicadas à Saúde) - Universidade Federal de Sergipe, Lagarto, 2016
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/7202
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências Aplicadas à Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
VIVIANE_FREITAS_ANDRADE.pdf852,26 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.