Please use this identifier to cite or link to this item: https://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/7689
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorOliveira, Inajara Marques Bezerra-
dc.date.accessioned2018-04-10T12:38:57Z-
dc.date.available2018-04-10T12:38:57Z-
dc.date.issued2014-08-27-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, Inajara Marques Bezerra. Possíveis áreas de agregação de Sirigado (Mycteroperca Bonaci POEY, 1860) e Cioba (Latjanus analis Cuvier, 1828) no litoral de Sergipe e extremo norte da Bahia. São Cristóvão, SE, 2015. Monografia (Bacharelado em Engenharia de Pesca e Aquicultura) - Departamento de Engenharia de Pesca e Aquicultura, Centro de Ciências Agrárias e Aplicadas, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015pt_BR
dc.identifier.urihttp://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/7689-
dc.languageporpt_BR
dc.subjectEngenharia de pescapor
dc.subjectPesca em Sergipe (SE)por
dc.subjectPescapor
dc.titlePossíveis áreas de agregação de Sirigado (Mycteroperca Bonaci POEY, 1860) e Cioba (Latjanus analis Cuvier, 1828) no litoral de Sergipe e extremo norte da Bahiapt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.contributor.advisor1Souza, Mário José Fonseca Thomé de-
dc.description.resumoA agregação reprodutiva de peixes ocorre geralmente em locais remotos na zona marinha e com tempo de duração muito curto. Na maioria das vezes acontece em condições meteorológicas difíceis e, quando acessível, são eliminados ou reduzidos pela intensificação da pesca. Lutjanus analis e Mycteroperca bonaci, vulgarmente conhecidas por cioba e sirigado ou badejo, são umas das principais espécies capturadas no litoral brasileiro que habitam essa zona marinha com comportamento de agregações reprodutivas. O presente trabalho tem como objetivo principal identificar possíveis áreas de agregação da cioba e do sirigado em uma faixa do litoral do nordeste brasileiro compreendendo o litoral de Sergipe e o extremo norte da Bahia. Para identificar possíveis períodos de concentração da cioba e do sirigado utilizou-se a CPUE (Captura por Unidade de Esforço) calculada seguindo a fórmula CPUE = Captura do pescado (Kg)/ Total de pescadores x Número de dias de pesca. As informações dos pesqueiros foram plotadas utilizando o software ArcGIS 9.3, gerando os mapas de distribuição espacial e temporal da pesca das duas espécies estudadas. Os resultados obtidos através dos mapas de espacialização e análises da CPUE, demonstraram maior intensidade e distribuição da pesca no terceiro e quarto trimestre para o sirigado e no segundo e terceiro trimestre para a cioba, o que indica um período de maior intensidade e distribuição da pescapt_BR
dc.publisher.departmentDEPAQ - Departamento de Engenharia de Pesca e Aquicultura – São Cristóvão - Presencialpt_BR
dc.subject.cnpqENGENHARIASpt_BR
dc.publisher.initialsUniversidade Federal de Sergipept_BR
dc.description.localSão Cristóvão, SEpt_BR
Appears in Collections:Engenharia de Pesca e Aquicultura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Inajara_Marques_Bezerra_Oliveira.pdf1,74 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.