Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/8009
Tipo de Documento: Dissertação
Título: Ansiedade, depressão e qualidade de vida no trabalho em enfermeiros de hospitais públicos de médio e grande porte no município de Aracaju
Título(s) alternativo(s): Anxiety, Depression and quality of life at work of nurses of public hospitals of medium and large capacity in Aracaju
Autor(es): Sant'Ana, Sílvia Maria da Silva
Data do documento: 16-Fev-2016
Orientador: Aragão, José Aderval
Resumo: A exposição do enfermeiro a condições de trabalho insalubres e demandas estressantes, pode levar a depressão e comprometer a qualidade de vida no trabalho, prejudicando assim o desempenho das atividades laborais e aumentando no número de afastamentos por doenças causadas ou agravadas pelo trabalho. O presente trabalho buscou avaliar a ocorrência de depressão e o índice de qualidade de vida no trabalho entre enfermeiros de quatro hospitais públicos do município de Aracaju. Em uma amostra de 221 enfermeiros foi aplicada a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HADS), o Instrumento de Avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho do Enfermeiro (QVTE) e um questionário, elaborado pelo pesquisador, para obtenção das características individuais e profissionais. A coleta de dados ocorreu de novembro de 2014 a abril de 2015 e após realizada a estatística descritiva das variáveis. Entre os pesquisados 44,35% indicaram sintomas de ansiedade e 31,7% sintomas de depressão leve. A média do escore total da QVTE foi 8,70 em uma escala de 0 a 20. Já as médias dos escores das dimensões especificadas pelo instrumento foram 8,92 para valorização e reconhecimento institucional, 6,14 para condições de trabalho segurança e remuneração, 11,75 para identidade e imagem profissional e 10,66 para integração com a equipe. Pelo teste de qui-quadrado verificou-se associação significante entre depressão e satisfação com a remuneração (p<0,013) e jornada de trabalho (p<0,048). Observou-se correlação indireta negativa pelo teste de Spearman entre ansiedade, depressão e QVTE (?= -0,219 e -0,341 respectivamente), assim como entre as dimensões de valorização e reconhecimento institucional (?= -0,243 e -0,355 respectivamente) , condições de trabalho segurança e remuneração (?= -0,165 e 0,219 respectivamente) , identidade e imagem profissional (?= -0,170 e -0,277 respectivamente) e integração com a equipe (?= -0,205 e -0,364 respectivamente).Os resultados indicam ocorrência elevada de ansiedade e depressão ao comparar com outros estudos, a média de qualidade de vida no trabalho no geral indica insatisfação dos enfermeiros nesse aspecto, principalmente na dimensão condições de trabalho, segurança e remuneração, embora mostrem-se satisfeitos com a sua identidade e imagem profissional. As evidencias sugerem que a presença de sintomas de ansiedade e depressão interferem negativamente na QVTE, uma vez que os resultados permitiram inferir que quanto maior o escore dos sintomas menor a satisfação com a qualidade de vida no trabalho.
Abstract: The exposure of a nurse to unhealthy and stressful work conditions may lead to depression and compromise the quality of life at work, thus jeopardizing the labor activities and increasing the number of absences because of diseases caused or worsened by work. To evaluate the occurrence of depression and the index of quality of life at work of nurses of four public hospitals in Aracaju. The Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS), and the Quality of Life at Work of Nurses (QLWN) were applied in a sample of 221 nurses, as well as a questionnaire, elaborated by the researcher, in order to obtain individual and professional characteristics. The gathering of data happened between November 2014 and April 2015, and afterwards, the descriptive statistics of the variables was done. 44.35% of the nurses showed symptoms of anxiety, and 31.7% symptoms of mild depression. The averages of scores of QLWN were 8.92 for appreciation and institutional recognition, 6.14 for working conditions, safety and remuneration, 11.75 for professional identity and image, and 10.66 for work integration, on a variation of 0 to 20. A negative correlation was noticed between depression and global QLWN, and time of hospital service, tested by the Linear Correlation of Spearman, significant association between depression, pay, and working hours of 36 hours, significant association between QLWN and work shift, between the integration dominion with the team and the number of employments. Conclusion: The results has shown a high occurrence of anxiety and depression when compared with other studies. Quality of life at work is, in general, unsatisfying, especially at work conditions, safety and pay. However, nurses are satisfied with their professional image. The evidence suggests that the presence of symptoms of anxiety and depression lead to a less satisfaction with quality of life at work.
Palavras-chave: Depressão mental
Enfermeiros
Qualidade de vida no trabalho
Depression
Nurses
Quality of Life at Work
Idioma: por
Sigla da Instituição: UFS
Programa de Pós-graduação: Pós-Graduação em Ciências Aplicadas à Saúde
Citação: SANT'ANA, Sílvia Maria da Silva. Ansiedade, depressão e qualidade de vida no trabalho em enfermeiros de hospitais públicos de médio e grande porte no município de Aracaju. 2015. 89 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Aplicadas à Saúde) – Universidade Federal de Sergipe, Lagarto, 2016.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/8009
Aparece nas coleções:Mestrado em Ciências Aplicadas à Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SILVIA_MARIA_DA_SILVA_SANT’ANA.pdf1,02 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.