Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/8095
Tipo de Documento: Monografia
Título: Tradução e adaptação cultural das escalas Amputee Mobility Predictor (AMP) e Houghton Scale of Prosthetic use – escalas preditoras da mobilidade em amputados de membros inferiores
Título(s) alternativo(s): Cultural adaptation of Amputee Mobility Predictor (AMP) and Houghton Scale of Prosthetic use - predictive scales of mobility in amputates of lower members
Autor(es): Almeida, Ananda Oliveira
Santiago, Anne Karolyne Cruz
Data do documento: 14-Jun-2017
Orientador: Dias, Sheila Schneiberg Valença
Resumo: Introdução: A amputação é um procedimento cirúrgico caracterizado pela remoção total ou parcial de um ou mais membros. No Brasil, as amputações têm uma incidência de 13,9 por 100.000 habitantes, destes, 85% são de membros inferiores (MMII). Os indivíduos amputados contam cada vez mais com uma diversidade de tecnologias assistidas para colaborar no processo de readaptação social, dentre elas, podemos citar as próteses. Apesar dos benefícios dessa tecnologia, observa-se que existe uma subutilização da mesma e os estudos que investigam a utilização de próteses em amputados de MMII não utilizam escalas padronizadas e validadas. Portanto, o objetivo desse estudo é traduzir e adaptar culturalmente para o português do Brasil, duas escalas que avaliam a qualidade da marcha de amputados de MMII com ou sem a prótese, as escalas AMP e Houghton. Métodos: As etapas de tradução e adaptação cultural seguiram as instruções do COnsensus based Standards for the selection of health status Measurement INstruments (COSMIN). O processo compreendeu três etapas: a primeira, contou com a participação de dois fisioterapeutas bilíngues que geraram duas traduções independentes das escalas AMP e Houghton (T1 e T2), a segunda etapa consistiu na junção dessas duas traduções, gerando a versão T1&2 que foi distribuída para análise da compreensão da tradução a três fisioterapeutas. Os fisioterapeutas analisaram a escala em dois momentos: 1) somente com a leitura 2) após aplicação clínica em um paciente. Os fisioterapeutas aplicaram as escalas em três pacientes maiores de 18 anos e amputados de MI. A terceira etapa compreendeu a adaptação da versão T1&2 após os comentários dos 3 fisioterapeutas e gerou a versão pré-final ou T3 que foi enviada aos autores originais. Resultados: Os questionários de nível de compreensão respondidos pelos fisioterapeutas mostraram que, em sua maioria, os itens estavam compreensíveis. Alguns itens na escala AMP foram adaptados após os comentários dos fisioterapeutas. Discussão: Os dados obtidos a partir da análise mostraram que a maioria dos fisioterapeutas atribuíram uma boa compreensão aos itens da Houghton e da AMP. Na AMP foram feitas algumas possíveis sugestões para adaptação através de diversos comentários de forma pontual e sem mudar a semântica da versão original. Conclusão: As versões brasileiras das escalas AMP e Houghton poderão ser aplicadas em pesquisas para identificar as causas que corroboram com asubutilização de prótese de amputados de MMII.
Abstract: Introduction: Amputation is a surgical procedure characterized by total or partial removal of one or more limbs. In Brazil, amputations have an incidence of 13.9 per 100,000 inhabitants, of whom 85% are lower limbs. Amputees increasingly rely on a variety of assisted technologies to collaborate in the process of social rehabilitation, among which we can mention prostheses. Despite the benefits of this technology, it is observed that there is an underutilization of it. Therefore, the purpose of this study is to translate and culturally adapt the AMP and Houghton scales to Brazilian Portuguese. Methods: The steps of translation and cultural adaptation followed the instructions of the COnsensus based Standards for the selection of health status Measurement INstruments (COSMIN). The process involved three stages: the first one was attended by two bilingual physiotherapists who generated two independent translations of the AMP and Houghton scales (T1 and T2), the second stage consisted of the junction of these two translations, generating the version T1 & 2 that had been applied By three physiotherapists in three patients over 18 years of age and those with amputees in order to evaluate the level of comprehension of the scales, the third step was to modify the T1 & 2 version after the comments of the three physiotherapists. Results: The comprehension level questionnaires answered by the physiotherapists showed that, for the most part, the items were comprehensible. Discussion: Data from the analysis showed that most physiotherapists attributed a good understanding to Houghton and AMP items, even though they identified possible suggestions to improve AMP assessment, through suggestions and comments to adapt some items without change the meaning of the original version. Conclusion: The Brazilian versions of the AMP and Houghton scales may be applied in research to identify the causes that corroborate the underuse of amputee prosthesis.
Palavras-chave: Amputações de perna
Pernas
Deficientes
Orientação e mobilidade
Amputação
Membros inferiores
Prótese
Avaliação
Amputation
Measurements
Prosthesis
Lower limbs
Idioma: por
Sigla da Instituição: UFS
Departamento: DFTL - Departamento de Fisioterapia Lagarto – Lagarto - Presencial
Citação: ALMEIDA, Ananda Oliveira; SANTIAGO, Anne Karolyne Cruz. Tradução e adaptação cultural das escalas Amputee Mobility Predictor (AMP) e Houghton Scale of Prosthetic use – escalas preditoras da mobilidade em amputados de membros inferiores. 2017. 1 CD-ROM. Monografia (Graduação em Fisioterapia) - Universidade Federal de Sergipe, Lagarto, 2017.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/8095
Aparece nas coleções:Fisioterapia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ANANDA_ OLIVEIRA_ ALMEIDA.pdf612,77 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.