Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/8191
Tipo de Documento: Monografia
Título: Prevalência e intensidade de incontinência urinária em gestantes de acordo com a paridade, via de parto e idade gestacional
Título(s) alternativo(s): Prevalence and intensity of urinary incontinence in pregnant women according to parity, mode of delivery and gestational age
Autor(es): Andrade, Karine Emanuelle Pacheco de
Data do documento: 31-Ago-2013
Orientador: Prado, Daniela Siqueira
Resumo: Objetivo: Avaliar prevalência e intensidade de incontinência urinária (IU) em gestantes de acordo com paridade, via de parto e idade gestacional. Métodos: Foi realizado um estudo analítico, do tipo transversal, observacional com 350 gestantes. Foram critérios de inclusão ser gestante com realização de pré-natal regular e aceitar participar da pesquisa. Foram excluídas gestantes hipertensas, diabéticas, com infecção urinária, obesas, com antecedentes de cirurgia pélvica, portadoras de doenças neurológicas, cardiopulmonares ou renais e em uso de medicamentos que interferem com a função do trato urinário. As gestantes responderam a um questionário sobre antecedentes obstétricos e à tradução do International Consultation on Incontinence Questionnaire – Short Form (ICIQ-SF), validado para o português. A análise de dados foi realizada através do programa SPSS 17.0. O teste de hipóteses relativas às variáveis categóricas foi realizado mediante o teste Qui-quadrado de Pearson. Resultados: A prevalência de IU foi de 50,3%, destas, 45,5% apresentaram incontinência urinária de esforço; 23,5%, incontinência urinária mista; 20,5%, urgeincontinência e 10,2% apresentaram outros tipos. No tocante à intensidade, 46% referem perda grave, 26,1% moderada, 25% muito grave e 2,8% perda leve. Quando estudada a associação entre paridade e prevalência e intensidade de IU, não houve diferença estatisticamente significativa em relação à prevalência e o número de gestações (p=0,12), como também não houve em relação à gravidade (p=0,3). Quanto à análise da associação entre o tipo de parto e a presença e gravidade de IU não existiram diferenças significativas tanto em relação à prevalência (p=0,62) quanto à gravidade (p=0,79). Em relação à Idade 64 Gestacional, a análise mostrou que não houve diferença estatisticamente significante tanto na associação de Idade gestacional com a prevalência de IU ( p=0,15), quanto com a intensidade (p=0,17). Conclusão: Foi elevada a prevalência de IU durante a gestação e a maioria referiu perda grave. Paridade, via de parto e idade gestacional não foram fatores determinantes para o desenvolvimento de IU, assim como também não interferiram na intensidade da mesma
Abstract: Objective: To evaluate the prevalence and severity of urinary incontinence (U.I.) in pregnant women according to parity, mode of delivery and gestational age. Methods: An analytical study was done, cross-sectional and observational type with 350 pregnant women. Inclusion criteria were being pregnant with conducting regular prenatal and agree to participate of the research. Pregnant women who reported hypertension, diabetes, urinary infection, obesity, previous pelvic surgery were not able to participate. So do patients with neurological, cardiopulmonary or renal diseases and using medicines that interfere the function of the urinary tract. Those women completed a form about obstetric history and also, a translated International Consultation on Incontinence Questionnaire - Short Form (ICIQ-SF), validated for the Portuguese. Data analysis was performed using the software Statistical Package for Social Sciences 17.0 (SPSS, Inc., Chicago, IL). The hypotheses test concerning categorical variables was performed using Pearson’s chi-square test. Results: The prevalence of U.I. was 50.3%, of these, 45.5% were stress incontinence, 23.5%, mixed incontinence, 20.5%, urge incontinence and 10.2% were other types . Regarding the severity, 46% reported severe loss, 26.1% moderate, 25% highly severe and 2.8% low loss. When the association between parity and the prevalence and severity of UI was studied, there was no statistically significant difference in prevalence and number of pregnancies (p = 0.12), as there was no relative to gravity (p = 0.3). In relation to the analysis of the association between mode of delivery and the presence and severity of UI there were no significant differences in both prevalence (p = 0.62) and severity (p = 0.79). Regarding gestational age, the analysis showed no statistically 66 significant difference either the association of gestational age with the prevalence of UI (p = 0.15), or the severity (p = 0.17). Conclusion: It was concluded that the prevalence of UI during pregnancy was severe and the majority reported serious loss. Parity, mode of delivery and gestational age were not factors for the development of UI, and did not affect the severity of it either
Palavras-chave: Medicina
Saúde
Urina (Incontinência)
Gravidez
Cesariana
Embriologia
Medicine
Urine (Incontinence)
Pregnancy
área CNPQ: CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Idioma: por
Sigla da Instituição: Universidade Federal de Sergipe
Departamento: DME - Departamento de Medicina – Aracaju - Presencial
Citação: ANDRADE, Karine Emanuelle Pacheco de. Prevalência e intensidade de incontinência urinária em gestantes de acordo com a paridade, via de parto e idade gestacional. Aracaju, SE, 2013. TCC (Graduação em Medicina) - Departamento de Medicina, Aracaju, 2013.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/8191
Aparece nas coleções:Medicina

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Karine_Emanuelle_Pacheco_Andrade.pdf967,41 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.