Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/8835
Tipo de Documento: Monografia
Título: Análise econômica da conciliação de medicamentos em uma unidade de internação de um hospital de ensino
Título(s) alternativo(s): Economical analysis of the conciliation of medicines in one unity of admission of a hospital of teaching
Autor(es): Oliveira, Luann Dennison Batista de
Data do documento: 2-Mai-2018
Orientador: Brito, Giselle de Carvalho
Resumo: INTRODUÇÃO: A morbimortalidade relacionada aos medicamentos tornou-se um importante problema de saúde, sendo responsável pelo aumento no número de internações hospitalares, comprometendo a segurança do paciente e aumentando os gastos em saúde. Neste contexto, a conciliação de medicamentos surge com objetivo de garantir a segurança do paciente, buscando evitar falhas na detecção de problemas relacionados a farmacoterapia, na interrupção do tratamento ou na continuação de uma terapia inapropriada. Com base nisso, a conciliação pode contribuir para a melhora dos resultados terapêuticos e redução dos custos para o hospital com os medicamentos dos pacientes, otimizando a utilização dos recursos em saúde públicos e privados. OBJETIVO: Estimar o impacto econômico da conciliação de medicamentos omissos em uma unidade de internação de um hospital de ensino relacionado ao custo da farmacoterapia utilizada durante a internação. MÉTODOS: Trata-se de um estudo de custo-análise do tipo observacional, descritivo e retrospectivo, realizado no período de setembro a novembro de 2017. O estudo envolveu a análise de prontuários e fichas de conciliação dos pacientes admitidos no setor da clínica médica. A estimativa dos custos médicos diretos com medicamentos foi realizada através da técnica micro-costing. Os dados foram calculados e apresentados por meio de estatística descritiva. RESULTADOS: Foram conciliados os medicamentos com discrepâncias de omissão (n=179) de 41 pacientes, equivalente a 101 princípios ativos distintos, representando um custo total de R$ 3.181,43±44,8 (média= R$ 77,60/paciente). Dos medicamentos conciliados, 49 (48,5%) estavam contidos na listra de padronização do hospital, correspondendo a um valor de R$ 1.256,60 e 52 (51,5%) não estavam contidos da listra de padronização, representando um valor de R$ 1.924,83. CONCLUSÃO: A abordagem econômica do estudo demonstra que a conciliação de medicamentos está diretamente envolvida nos custos com medicamentos utilizados pelos pacientes. Além disso, os aspectos econômicos da conciliação relacionados ao consumo de medicamentos durante a internação representam uma parcela pequena dos benefícios econômicos gerados por esse serviço. Nesta perspectiva, é fundamental a realização de estudos farmacoeconômicos completos, que avaliem economicamente a implantação e desenvolvimento do serviço de conciliação, bem com os desfechos clínicos dos pacientes.
Abstract: INTRODUCTION: Drug-related morbidity and mortality have become an important health problem, being the source of an increase in hospital admissions, compromising patient safety and increasing health spending. In this context, a medication reconciliation arises with the aim of preventing and correcting medication errors, therefore, treatment failures related to pharmacotherapy, discontinuation of treatment or continuation of inappropriate therapy. Based on this, a reconciliation to improve outcomes and reduce hospital costs with patients' medicines, optimizing the use of resources in public and private services. OBJECTIVE: To estimate the economic impact of the conciliation of missing medications in a hospital in a teaching hospital related to the cost of pharmacotherapy used during hospitalization. METHODS: This is an observational, descriptive and retrospective cost-analysis study carried out from September to November 2017. The study involved the analysis of medical records and reconciliation sheets for patients admitted to the medical clinic. The estimation of direct medical costs with drugs was performed through the micro-costing technique. Data were calculated and presented using descriptive statistics. RESULTS: The drugs with omission discrepancies (n=179) of 41 patients, equivalent to 101 different active principles, were reconciled, representing a total cost of R$ 3.181,43 ± 44,8 (mean=R$ 77,60/patient ). Of the reconciled drugs, 49 (48.5%) were contained in the standardization strip of the hospital, corresponding to a value of R$ 1.256,60 and 52 (51.5%) were not contained in the standardization stripe, representing a value of R$ 1.92,.83. CONCLUSION: The economic approach of the study demonstrates that the conciliation of medications is directly involved in the costs of medicines used by patients. In addition, the economic aspects of conciliation related to medication consumption during hospitalization represent a small part of the economic benefits generated by this service. In this perspective, it is fundamental to carry out complete pharmacoeconomic studies, which economically evaluate the implementation and development of the conciliation service, as well as the clinical outcomes of the patients.
Palavras-chave: Pacientes
Medidas de segurança
Medicamentos
Interações
Hospitais
Ensino
Custos
Segurança do paciente
Conciliação de medicamentos
Hospital de ensino
Farmacoeconomia
Custos de medicamentos
Patient safety
Medication reconciliation
Teaching hospitals
Economics
Pharmaceutical
Drug dosts
Idioma: por
Sigla da Instituição: UFS
Departamento: DFAL - Departamento de Farmácia – Lagarto - Presencial
Citação: OLIVEIRA, Luann Dennison Batista de. Análise econômica da conciliação de medicamentos em uma unidade de internação de um hospital de ensino. 2018. 1 CD-ROM. Monografia (Graduação em Farmácia) - Universidade Federal de Sergipe, Lagarto, 2018.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/8835
Aparece nas coleções:Farmácia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LUANN_DENNISON_BATISTA_DE_OLIVEIRA.pdf1,55 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.