Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/9144
Document Type: Dissertação
Title: Avaliação da força dos músculos do tronco em idosas : reprodutibilidade, associação com o desempenho funcional e efeitos dos treinamentos funcional e tradicional
Authors: Mesquita, Marceli Matos Andrade
Issue Date: 9-Apr-2018
Advisor: Grigoletto, Marzo Edir da Silva
Resumo : A manutenção da força dos músculos do tronco apresenta grande importância na saúde em idosos, uma vez que está relacionada com um melhor desempenho durante as atividades de vida diária. Entretanto, limitações são encontradas na literatura científica ao analisar os testes para mensurar a força desses músculos e, além disso, não está clara a importância desses músculos no desempenho funcional em idosos. Diante disso, o objetivo desta dissertação foi: I) avaliar a reprodutibilidade do teste de força isométrica máxima do tronco em idosas; II) verificar a associação entre a força e a endurance do tronco sobre as medidas de desempenho funcional em idosas; e III) analisar os efeitos dos treinamentos funcional e tradicional sobre a força isométrica máxima e a endurance do tronco em idosas. O estudo I verificou a reprodutibilidade do teste de força máxima dos músculos do tronco em idosas em dois dias de avaliações, através do Coeficiente de Correlação Interclasse, do Coeficiente de Variação, da Mínima Mudança Detectável, do Erro Padrão de Medida e também da análise gráfica de Bland-Altman. Os achados desse estudo revelaram correlação interclasse alta a muita alta (extensores=0,93; flexores=0,86, respectivamente); baixa variação (9% para os dois grupos musculares); e mínima mudança detectável aceitável (extensores=51,1 N; flexores=48,9 N). Além disso, a análise de Bland-Altman revela baixo viés e valores dentro dos limites de concordância. No estudo II, foi realizada uma regressão linear múltipla com o intuito de explicar em que magnitude a força e a endurance dos músculos do tronco contribuem no desempenho funcional em idosas. Dessa forma, houve uma participação da endurance dos músculos extensores do tronco, que variou entre 17,9% a 24,4% no desempenho funcional em idosas. Já no estudo III, foi realizado um ensaio clínico randomizado e controlado com três grupos: treinamento funcional, treinamento tradicional e grupo controle. Os grupos de intervenção realizaram um treinamento com características funcional e progressiva, de forma que o grupo treinamento tradicional realizou os exercícios em máquinas analíticas e o grupo treinamento funcional, exercícios com características de padrões de movimentos de maneira multiplanar e coordenada, incorporando múltiplas articulações. Aplicadas 12 semanas de treinamento, foi constatado que o grupo treinamento funcional obteve melhora significativa para todas as variáveis analisadas: teste de força máxima, taxa de desenvolvimento de força e endurance dos músculos extensores e flexores do tronco. O grupo treinamento tradicional foi superior apenas na variável de taxa de desenvolvimento de força dos músculos extensores do tronco. Assim, conclui-se que o teste de força máxima para os músculos do tronco em idosas apresenta alta reprodutibilidade; há associações entre a endurance dos músculos do tronco e desempenho funcional, e o treinamento funcional parece mais eficaz que o treinamento tradicional em relação ao aumento de força máxima e endurance dos músculos do tronco, além da taxa de desenvolvimento de força dos músculos flexores do tronco.
Abstract: The maintenance of the trunk muscles strength presents great importance in the elderly’s health, since it is related to a better performance during the daily activities. However, scientific literature limitations are found when analyzing the tests to measure the strength of these muscles and, in addition, the importance of these muscles in functional performance in the elderly people is not clear. Therefore, the objective of this dissertation was: I) to evaluate the reproducibility of the maximal isometric trunk strength test in the elderly women; II) to verify the association between strength and endurance in the trunk muscles on measures of functional performance in elderly women; and III) to analyze the effects of functional and traditional training on maximal isometric strength and endurance in elderly women. Study I verified the reproducibility of the maximal strength test of the trunk muscles in the elderly, in two days of evaluations, through Interclass Correlation Coefficient, Coefficient of Variation, Minimum Detectable Change, Standard Error of Measure, as well as graphical analysis of Bland-Altman. The study results showed high to very high interclass correlation (extensors = 0.93, flexors = 0.86, respectively); low variation (9% for both muscle groups); and minimal detectable change acceptable (extensors = 51.1 N, flexors = 48.9 N). Furthermore, the Bland-Altman analysis reveals low bias and values within the limits of agreement. In study II, a multiple linear regression was performed with the purpose of explaining to what magnitude the strength and endurance of the trunk muscles contribute to functional performance in elderly women. Thus, there was a participation of the trunk extensor muscles endurance that ranged from 17.9% to 24.4% in functional performance in the elderly. In study III, a randomized and controlled clinical trial was conducted with three groups: functional training, traditional training and control group. The intervention groups performed a training with functional and progressive characteristics, so that the traditional training group performed the exercises in analytical machines and the functional training group, exercises with characteristics of movement patterns in a multiplanar and coordinated manner, incorporating multiple joints. The groups were evaluated before and after 12 training weeks through trunk muscles maximal strength test. After 12 training weeks, it was verified that the functional training group obtained a statistically significant improvement for all variables analyzed: maximum strength test, trunk extensor and flexor muscles strength and endurance ratio. The traditional training group was superior only in the variable of trunk extensor muscles strength development rate. Accordingly, it is concluded that the trunk muscles maximal strength test in elderly women presents high reproducibility; there is a great association between the trunk muscles endurance in the functional performance and the functional training seems more effective than the traditional training in relation to the increase of the trunk muscles maximal strength and endurance, in addition to the rate of trunk flexor muscles strength development.
Keywords: Exercícios físicos para idosos
Músculos
Envelhecimento
Coluna vertebral
Reprodutibilidade dos testes
Atividades cotidianas
Treinamento neuromuscular
Reproducibility of tests
Aging
Spine
Daily activities
Neuromuscular training
Subject CNPQ: CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICA
Language: por
Institution: Universidade Federal de Sergipe
Program Affiliation: Pós-Graduação em Educação Física
Citation: MESQUITA, Marceli Matos Andrade. Avaliação da força dos músculos do tronco em idosas : reprodutibilidade, associação com o desempenho funcional e efeitos dos treinamentos funcional e tradicional. 2018. 94 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2018.
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/9144
Appears in Collections:Mestrado em Educação Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MARCELI_MATOS_ANDRADE_MESQUITA.pdf781,48 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.