Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/10443
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorOliveira, André Luiz de-
dc.date.accessioned2019-02-08T18:23:21Z-
dc.date.available2019-02-08T18:23:21Z-
dc.date.issued2018-08-30-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, André Luiz de. Amálgama odontológico : toxidade, armazenamento, manipulação e descarte. 2018. 56 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/10443-
dc.description.abstractDental amalgam is a restorative material widely used in dentistry due to its physical and mechanical properties, it is a material of easy handling and low cost, but one of the negative aspects is the presence of mercury in its composition. Mercury is a metal toxic to living things and the environment, occupational exposure being one of the main sources of contamination by this metal. Among occupational activities at risk of exposure to mercury is dentistry. Studies show that the storage and disposal of amalgam waste can also contribute to the mercury contamination of dental offices, people working in them and the environment. During the making or removal of restorations the mercury can be released into the environment. Amalgam waste generated in dental practice is an important source of release of mercury into the environment if discarded in the common waste or discharged into the sewage system. This research will follow the typology described by Rudolf Carnap, insofar as he is concerned with real, observable and experimental facts and processes, typical of Factual Sciences. Sediment samples from the Sergipe river estuary were analyzed near the university hospital (HU) of the Federal University of Sergipe, in order to detect possible contamination and determination of mercury levels, and the characterization of the studied area. Following established standards, research will facilitate decision-making and the dissemination of information and knowledge such as policies from the perspective of the dimensions of sustainable development in economic, social, environmental, political and cultural aspects. Data were obtained on dental restorative materials and the environmental quality of the estuary of the Sergipe River. Information and research data will be made available to the general public and to the academic community, which may be used as a research source. It has been found that the estuary is contaminated with mercury at levels ranging from 0.107 to 0.240 mg / kg in periods of rain and drought, but the source of the polluting source can not be stated.eng
dc.languageporpt_BR
dc.subjectMeio ambientepor
dc.subjectAmálgamas dentáriospor
dc.subjectMercúriopor
dc.subjectImpacto ambientalpor
dc.subjectOdontologiapor
dc.subjectDoençaspor
dc.subjectSedimentospor
dc.subjectMercuryeng
dc.subjectDentistryeng
dc.subjectDiseaseseng
dc.subjectSedimenteng
dc.subjectEnvironmenteng
dc.subjectToxidadepor
dc.subjectContaminaçãopor
dc.titleAmálgama odontológico : toxidade, armazenamento, manipulação e descartept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor1Sousa, Inajá Francisco de-
dc.description.resumoO amálgama odontológico é um material restaurador amplamente utilizado na odontologia devido as suas propriedades físicas e mecânicas, é um material de fácil manuseio e baixo custo, porém um dos aspectos negativos é a presença de mercúrio em sua composição. O mercúrio é um metal tóxico para os seres vivos e para o meio ambiente, sendo a exposição ocupacional uma das principais fontes de contaminação por esse metal. Entre as atividades ocupacionais com risco de exposição ao mercúrio destaca-se a odontologia. Estudos mostram que o armazenamento e o descarte dos resíduos de amálgama também podem contribuir para a contaminação por mercúrio dos consultórios odontológicos, das pessoas que neles trabalham e do meio ambiente. Durante a confecção ou remoção de restaurações o mercúrio pode ser liberado para o ambiente. Resíduos de amálgama gerados na prática odontológica constituem importante fonte de liberação de mercúrio para o ambiente se descartados no lixo comum ou descarregados no sistema de esgoto. Esta pesquisa seguirá a tipologia descrita por Rudolf Carnap, na medida em que se preocupa com fatos e processos reais, observáveis e experimentáveis, típicos das Ciências Factuais. Foram analisadas amostras de sedimentos da bacia do estuário do rio Sergipe, no entorno do hospital universitário (HU) da Universidade Federal de Sergipe, a fim de detectar possível contaminação e determinação dos níveis de mercúrio, e a caracterização da área estudada. Seguindo padrões estabelecidos, a pesquisa facilitará a tomada de decisões e a disseminação de informações e conhecimento como as políticas sob a óptica das dimensões do desenvolvimento sustentável no que tange os aspectos econômico, social, ambiental, político e cultural. Foram produzidos dados sobre materiais restauradores odontológicos e a qualidade ambiental do estuário do rio Sergipe. As informações e os dados da pesquisa ficarão à disposição do público em geral e à comunidade acadêmica, que poderá utilizá-las como fonte de pesquisa. Foi constatado que o estuário está contaminado com mercúrio com níveis que variam de 0,107 a 0,240 mg/kg em períodos de chuva e seca, contudo não se pode afirmar a origem da fonte poluidora.pt_BR
dc.publisher.programPós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambientept_BR
dc.subject.cnpqOUTROSpt_BR
dc.publisher.initialsUniversidade Federal de Sergipept_BR
dc.description.localSão Cristóvão, SEpt_BR
Appears in Collections:Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ANDRE_LUIZ_OLIVEIRA.pdf3,22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.