Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/12322
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorFarias, Douglas Lira de-
dc.date.accessioned2019-11-04T11:17:31Z-
dc.date.available2019-11-04T11:17:31Z-
dc.date.issued2019-08-27-
dc.identifier.citationFARIAS, Douglas Lira de. Avaliação da eficiência de híbridos magnéticos na remoção de ibuprofeno em água. 2019. 76 f. Dissertação (Mestrado em Química) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2019.pt_BR
dc.identifier.urihttp://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/12322-
dc.description.abstractIbuprofen (IBU) is one of the most consumed drugs in the world and much of it is eliminated in aquatic bodies, being harmful to the environment even at low concentrations. Adsorption using magnetic hybrid materials is especially attractive because the adsorbent can be easily removed from the water. aqueous medium by the simple application of an external magnetic field. In this work we synthesized the hybrid magnetic adsorbent materials AGMG and MONG, and for this purpose they were used to compose the organic phases of the adsorbents, water hyacinth biomass (AGIN) and to the second water. with high content of natural organic matter (MON) and cobalt ferrite (CoFe2O4) to compose the inorganic phase in both materials. The formation of the materials was confirmed by X-ray diffraction, which identified the cobalt ferrite phase in the synthesized materials. Infrared confirmed the materials the presence of hydroxyl and carboxylate groups from AGIN and MON, as well as Fe-O stretches characteristic of cobalt ferrite. Tests of the influence of pH on the removal of IBU showed higher percentages of removal in the range. pH 2-3 for both adsorbents with removal percentages of 100 and 86% and equilibration times of 10 and 30 min for AGMG and MONG, respectively. However with only 5 minutes of kinetic assay there was a high adsorption response of 70% for MONG and 91% for AGMG. The kinetic data fit the pseudo-second order model. The isotherm data for the AGMG and MONG fit the Langmuir model, showing good linear correlation in the concentration range studied, with determination coefficient 2 between 0.9971-0.9981. The maximum adsorbent capacity values calculated (qmax) were 11.7mg g-1 for AGMG and 1.5 mg g-1 for MONG. The Adsorbents were reused in six adsorption cycles without the use of desorption process. , and the efficiency varied in both materials. For AGMG the removal remained high in all cycles, with 100% removal in the first cycle and 70% in the sixth cycle. For MONG, the removal decreased with each cycle, reaching a removal 78% in the first cycle and 30% that in the sixth cycle. The results show that the magnetic hybrids have deficiency in IBU removal and reusability.eng
dc.description.sponsorshipConselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPqpt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.subjectQuímicapor
dc.subjectAdsorçãopor
dc.subjectIbuprofenopor
dc.subjectAguapé (Planta)por
dc.subjectFerritapor
dc.subjectCobaltopor
dc.subjectHibrido magnéticopor
dc.subjectFerrita de cobaltopor
dc.subjectAdsorptioneng
dc.subjectIbuprofeneng
dc.subjectHybrid magneticeng
dc.subjectWater hyacintheng
dc.subjectCobalt ferriteeng
dc.titleAvaliação da eficiência de híbridos magnéticos na remoção de ibuprofeno em águapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor1Romão, Luciane Pimenta Cruz-
dc.description.resumoO ibuprofeno (IBU) é um dos fármacos mais consumidos no mundo e grande parte dele é eliminado nos corpos aquáticos, sendo prejudicial ao ambiente mesmo em baixas concentrações. A adsorção usando materiais híbridos magnéticos é especialmente atraente, pois o adsorvente pode ser facilmente removido do meio aquoso pela simples aplicação de um campo magnético externo. Neste trabalho foi efetuada a síntese dos materiais adsorventes híbridos magnéticos AGMG e MONG,e para tal foram utilizadas para compor as fases orgânicas dos adsorventes, a biomassa de aguapé (AGIN) e para o segundo água com alto teor de matéria orgânica natural (MON) e a ferrita de cobalto (CoFe2O4) para compor a fase inorgânica, em ambos os materiais. A formação dos materiais foi confirmada por difratometria de raios X, em que se identificou da fase ferrita de cobalto nos materiais sintetizados. O infravermelho confirmou para os materiais a presença de grupos hidroxilas e carboxilatos, provenientes da AGIN e MON, além de estiramentos da Fe-O característica das ferritas de cobalto.Os ensaios da influência do pH na remoção do IBU mostraram maiores porcentagens de remoção na faixa de pH 2-3, para os dois adsorventes com percentuais de remoção de 100 e 86%e tempos de equilíbrio de 10 e 30 min para o AGMG e MONG,respectivamente. Entretanto com apenas 5 minutos de ensaio cinético houve uma alta resposta de adsorção de 70% para o MONG e de 91% para o AGMG. Os dados cinéticos ajustaram-se ao modelo de pseudo-segunda ordem. Os dados das isotermas para o AGMG e MONG ajustaram-se ao modelo de Langmuir, apresentando boa correlação linear na faixa de concentração estudada, com coeficiente de determinaçãor2 entre 0,9971-0,9981. Os valores de capacidades máximas dos adsorventes calculada (qmax) foram de 11,7 mg g-1 para o AGMG e 1,5 mg g-1 para o MONG.Os Adsorventes foram reutilizados em seis ciclos de adsorção, sem utilização de processo de dessorção, e a eficiência variou nos dois materiais. Para o AGMG a remoção permaneceu elevada em todos os ciclos, com 100% de remoção no primeiro ciclo e 70% no sexto ciclo. Para o MONG, a remoção diminuiu a cada ciclo, alcançando uma remoção 78% no primeiro ciclo e 30% que no sexto ciclo.Os resultados encontrados evidenciam que os híbridos magnéticos apresentaram eficiência na remoção do IBU e capacidade de reutilização.pt_BR
dc.publisher.programPós-Graduação em Químicapt_BR
dc.subject.cnpqCIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICApt_BR
dc.publisher.initialsUFSpt_BR
dc.description.localSão Cristóvão, SEpt_BR
Appears in Collections:Mestrado em Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DOUGLAS_LIRA_FARIAS.pdf1,36 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.