Please use this identifier to cite or link to this item: https://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/12659
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorNascimento, Augusto Vinicius de Souza-
dc.date.accessioned2020-01-29T14:31:03Z-
dc.date.available2020-01-29T14:31:03Z-
dc.date.issued2019-04-04-
dc.identifier.citationNascimento, Augusto Vinicius de Souza. Análise de germinação e estabelecimento in vitro de aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva Allemão). São Cristóvão, SE, 2019. Monografia (graduação em Ciências Biológicas) – Departamento de Biologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2019pt_BR
dc.identifier.urihttp://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/12659-
dc.languageporpt_BR
dc.subjectBiologiapor
dc.subjectEnsino de biologiapor
dc.subjectAroeira-pretapor
dc.subjectEspécie nativapor
dc.subjectMicropropagaçãopor
dc.subjectBiotecnologiapor
dc.subjectGerminaçãopor
dc.subjectAroeira-do-sertãopor
dc.subjectMyracrodruon urundeuva Allemãopor
dc.titleAnálise de germinação e estabelecimento in vitro de aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva Allemão)pt_BR
dc.typeMonografiapt_BR
dc.contributor.advisor1Santos, Paulo Augusto Almeida-
dc.description.resumoA espécie Myracrodruon urundeuva Allemão conhecida como aroeira-do-sertão, pertence à família Anacardiaceae e ocorre no Cerrado, na Mata Atlântica e principalmente na Caatinga. É muito utilizada para fabricação de estacas e mourões, na medicina caseira e na farmacologia possuindo efeitos antiinflamatórios e cicatrizantes. Devido aos seus múltiplos usos e sua exploração essencialmente extrativista,encontra-se ameaçada de extinção.Por possuir um grande potencial ecológico, econômico e social, faz-se necessário o desenvolvimento de técnicas e metodologias para uma eficiente multiplicação e conservação dessa espécie, assim o estudo da propagação vegetativa através da cultura de tecidos pode ser uma importante ferramenta, proporcionando rápida e eficiente propagação. O objetivo do trabalho foi avaliar a germinação, e promover o estabelecimento e a micropropagação in vitrode aroeira-do-sertão. Para o teste de germinação foram utilizados três substratos (areia lavada, terra vegetal e vermiculita), o substrato dotado de vermiculita apresentou os melhores resultados para %G (52%) e para o IVE (2,34). Para o experimento de germinação in vitro foram testados diferentes agentes de suporte (ágar e vermiculita) acrescentados aos sais do meio de cultura, a utilização de vermiculita diferiu significativamente ao ágar na %G e no IVG, com média geral para os tratamentos com vermiculita de 64,7% e de 0,607 respectivamente.Para o experimento de micropropagação foram testadas diferentes concentrações de BAP (6-benzilaminopurina), não foram observadas diferenças significativas, porém foi observado que a maioria das brotações apresentou somente um broto, além disso, houve indução de brotações em todas as concentrações. As maiores médias foram observadas no tratamento com 1,0 mgL 1 de BAP, obtendo os seguintesvalores: 1,3 para formação de brotos, 75%de enraizamento, 4,4cm para altura dos brotos, 0,026g de massa fresca dos brotos, média de 5,1 folhas nos brotos e 88,8% de sobrevivência. Conclui-se que para germinação de aroeira-do-sertão o substrato e o agente de suporte mais eficiente é a vermiculita, e que é possível se obter a multiplicação de aroeira-do-sertão através da micropropagação com a utilização de BAP.pt_BR
dc.publisher.departmentDBI - Departamento de Biologia – São Cristóvão – Presencialpt_BR
dc.subject.cnpqCIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICApt_BR
dc.publisher.initialsUniversidade Federal de Sergipept_BR
dc.description.localSão Cristóvão, SEpt_BR
Appears in Collections:Biologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Augusto_Vinicius_Souza_Nascimento.pdf2,49 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.