Please use this identifier to cite or link to this item: https://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/3833
Document Type: Dissertação
Title: Avaliação do climatério nas mulheres com deficiência isolada do hormônio de crescimento em Itabaianinha-SE
Authors: Menezes, Menilson
Issue Date: 28-Jul-2006
Advisor: Oliveira, Manuel Hermínio de Aguiar
Resumo : O impacto da deficiência isolada do hormônio de crescimento na fisiologia e na apresentação clínica do climatério não é conhecido. O climatério em indivíduos normais apresenta alteração do perfil hormonal, principalmente elevação do FSH e diminuição do estradiol, caracterizando um estado hipergonadotrófico e hipoestrogênico, decorrência da diminuição folicular ovariana. A deficiência isolada do hormônio de crescimento tem como pressuposto a limitação do crescimento linear, mas, sobretudo leva diminuição acentuada do fator de crescimento semelhantes à insulina (IGFI) e como conseqüência promove alteração no metabolismo muscular, ósseo, da gordura, do hidrato de carbono e do índice de massa corpórea. O nosso objetivo é avaliar a intensidade da sintomatologia do climatério, as alterações hormonais, metabólicas e identificar morbidade própria deste período. Foi realizado um estudo de corte transversal em dois grupos. O grupo 1 com 7 indivíduos com deficiência isolada do hormônio de crescimento da cidade de Itabaianinha-SE, homozigotos para mutação do receptor do hormônio de crescimento (GHRH-R) e o grupo 2 com 13 indivíduos com GH normal. Todos com idade dos 40 aos 65 anos e FSH acima de 20mUI/ml. Foram utilizados ficha clínica, índice de menopausa de Kupperman, dosagem sérica de FSH, LH, Prolactina, estradiol, colesterol total, LDL, HDL, triglicerídeos e glicemia. Colpocitologia oncótica e exames de imagem como ultra-sonografia pélvica, mamografia e ultra-som mamário. Análise estatística através de teste de comparação de hipóteses utilizando programa estatístico SPSS versão 12. Para comparação das medias das variáveis, T-Student, Mann-Whitney e teste de freqüência x2. O valor do p<0,05 foi estatisticamente significante. Os resultados apresentaram os dados antropométricos, como peso e altura, DIGH (36,41 kg ±7,29 e 117 cm ± 4,08) e controle (62,26kg ± 11,42 e 154,12 cm ± 6,38) com p<0,05 e a pressão sistólica foi discretamente elevada no DIGH e controle (131,43 ± 19,52 e 129,23 ± 12,56) embora não significante. Índice de Kupperman no grupo DIGH e controle (13,20 ± 9,30 e 16,00 ± 10,50) intensidade leve. Nos sintomas climatéricos a proporção insônia nos grupos DIGH e controle (57% e 46%) com p = 0,053. Os aspectos reprodutivos no grupo DIGH e controle apresentaram a idade da menarca (17 anos e 13 anos com p < 0,05), a idade da primeira relação sexual (28 anos e 19 anos com p = 0,065), número de gestação (2 e 5 gestações com p<0,05), número de parto (2 e 5 partos com p<0,05). O perfil hormonal típico do climatério, apenas a prolactina nos grupos DIGH e controle (3,90 ng ± 1,90 e 6,60 ng ± 3,26) p<0,05 foi significante. No perfil metabólico a glicemia nos grupos DIGH e controle (105,90mg/dl ± 13,40 e 91,43mg/dl ± 13,18) com p<0,05, sendo o grupo DIGH parcialmente disglicêmico. O volume do útero no grupo DIGH e controle (42,30 cm³± 9,78 e 88,68 cm³± 63,13) embora volume normais, o grupo DIGH apresentou volume no limite inferior de normalidade com p<0.05. No grupo DIGH e controle o volume endometrial (0,64 cm ± 014 e 0,67cm ± 0,30) e o volume dos ovários (3,13 cm³± 1,52 e 4,00 cm³± 2,85) não foram significativos. A mamografia no grupo DIGH 85,2% BI-RADS 1 mamas normais e no grupo controle foi de 69,24%. A colpocitologia oncótica no grupo DIGH apresentou processo inflamatório 42,9% e no grupo controle 61,5%. Conclusão: o climatério de portadoras de DIGH não apresentou diferenças nos aspectos clínicos e no perfil hormonal. Entretanto, a morbidade no grupo DIGH foi de caráter benigno como cisto mamário, vaginite, tendência à hipertensão leve e disglicemia.
Abstract: The impact of isolated growth hormone deficiency (IGHD) in physiology and clinical presentation of climateric it s not known. Climateric state in normal persons, presents hormonal profile alteration, principally increase in FSH and estradiol decrease, characterizing a hypergonadotrophic and hypoestrogenic state, due to the ovarian follicular decrease. IGHD limits linear growth, but overcoat to accented diminution of insuline like growth factor (IGF1) and consequently promote alteration in muscle, bone, fat, glucosis metabolism and corporal mass index. Our objectives are evaluating intensity of climateric symptoms, hormonal alterations, and metabolic alterations and identify morbidity on this period. It was realized transversal cut study in two groups. Goup 1 with 7 persons with isolated growth hormone deficiency in Itabaianinha-SE city , homozygots to growth hormone receptor s mutation. Group 2, with 13 persons with normal growth hormone. All persons with age between 40 and 65 years old and FSH above 20mUI/ml. It was utilized clinical card, Kupperman s menopause index, blood dosage of FSH, LH, prolactin, estradiol, total cholesterol, LDL, HDL, triglycerides and glycemia. Oncotic colpocytology and image exams like pelvic ultra-sound, mammography and mammary ultra-sound. Statistical analyses were provided by hypotheses comparation utilizing SPSS software, version 12. To comparate variables media, T-Student, Mann-Witney and frequency test x2 was utilized, with p<0.05. Results presented antropometric data, like weight and high, IGHD (36.41kg ± 7.29 and 117cm ± 4.08) and control (62.26kg ± 11.42 and 154.12cm ± 6.38) with p<0.05. Kupperman s menopause index in IGHD and control groups had small intensity (13.20 ± 9.30 and 16.00 ± 10.50). In climateric symptoms proportion of insomnia in IGHD and control groups (57% and 46%) with p=0.053. Reproductive aspects in IGHD and control groups presented, in menarche age (17 and 13 years old, with p<0.05), first sexual relationship age (28 and 19 years old, with p=0.065), gestation number (2 and 5, with p<0.05). Hormonal profile characteristic for climateric, just prolactin in IGHD and control groups (3.90ng ± 1.90 and 6.60ng ± 3.26) p<0.05. On metabolic profile, glycemia in IGHD and control groups (105.90mg/dl ± 13.40 and 91.43mg/dl ± 13.18) with p<0.05, showing IGHD group biologically being the group probally disglycemic. Uterus volume in IGHD and control groups (42.30cm3 ± 9.78 and 88.68cm3 ± 63.13) were normal, but IGHD group presented this volume in minumum limit of normality. In IGHD and control groups, endometrial volume (0.64cm ± 0.14 and 0.67cm ± 0.30) and ovary volume (3.13cm3 ± 1.52 and 4.00cm3 ± 2.85) had not significance. Mammography in IGHD group 85,2% BI-RADS 1 normal breast and 61.5% in control group. Oncotic colpocytology in IGHD group presented inflammatory process 42.9% and in control group 61.5%. Conclusion: Climateric in IGHD patients had not presented differences in clinical aspects and hormonal profile. However, morbidity in IGHD group was benign with breast cysts, vaginal inflammation, tendency to a small hypertension and disglycemia.
Keywords: Climatério
Deficiência do hormônio do crescimento
IGF-I
Menopausa
Endocrinologia
Ginecologia
Climateric
Growth hormone deficiency
IGFI
Menopause
Endocrinology
Gynaecology
Subject CNPQ: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Sponsorship: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Language: por
Country: BR
Publisher / Institution : Universidade Federal de Sergipe
Institution: UFS
Program Affiliation: Pós-Graduação em Ciências da Saúde
Citation: MENEZES, Menilson. AVALIAÇÃO DO CLIMATÉRIO NAS MULHERES COM DEFICIÊNCIA ISOLADA DO HORMÔNIO DE CRESCIMENTO EM ITABAIANINHA-SE. 2006. 101 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, 2006.
Rights: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/3833
Appears in Collections:Mestrado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MENILSON _MENEZES.pdf621,1 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.