Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/4080
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSiqueira, Rosana Rochapt_BR
dc.date.accessioned2017-09-26T13:09:05Z-
dc.date.available2017-09-26T13:09:05Z-
dc.date.issued2012-09-27-
dc.identifier.citationSIQUEIRA, Rosana Rocha. Adolescentes e o consumo sustentável: percepções e estilos de vida. 2012. 228 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2012.por
dc.identifier.urihttps://ri.ufs.br/handle/riufs/4080-
dc.description.abstractThe motivation for this study arose from the perception that the environmental speech shifts the problem of industrial production of goods for concern about the levels and patterns of consumption, setting the teenager as an agent of change towards the present and future sustainability. Before the emergence of rethinking habits and lifestyles, there are the concerns about the social, economic, cultural, environmental and space aspects. Thus, there are several problems related to teen consumption and audience, as the lack of reflection and dialogue about the everyday consumption practices, strategies of persuasion marketing, lack of data about the symbolic aspects inherent to the consumption practice as a social phenomenon, impact of the debates on the topic that fix their attention on the relationship among production-acquisition-disposal, regardless of the subjects perceptual factors. In this sense, it is asked: from the perspective of sustainable consumption, how has the perception of adolescents about their consumption habits and lifestyles been shown? The research focused on the symbolic interactionist paradigm of phenomenological basic was held in the municipality of Lagarto, state of Sergipe (SE), in a Federal Education Institution, with integrated high school classes. In this sense, it is considered the school as one of the main participant institutions in the teenagers development along to family and groups to which they belong. Indeed, it was developed an exploratory, descriptive, qualitative and quantitative, which means of research based on perception, are such bibliographical, documentary and field nature. In this perspective, the aim was to formulate appropriate research instruments, such as the questionnaire, semi-structured interviews and observation journal. After collecting data, it was opted for content analysis, according to Bardin (1977). So, front to the reflections in the light of theoretical results and the research helped to expand the discussion on sustainable consumption and can support new approaches and interactions about the subject at school, family and other institutions. Front to what is written above, it is confirmed the hypothesis on which most participant teenagers study have the perception that their consumption habits and lifestyles influence the social and environmental ambience, although there are different nuances between the perceptual plan (perceived) and the plan of actions (lived). The perceptual plan presents more convergent with the purposes of sustainable consumption, while, in the plans of actions, some practices are in intermediate stages or not converging. It s worth to note that, in general, adolescents have great potential to build a more sustainable society, if they can, of course, reflect on what actually constitutes ‗need and have joint support of public and private projects and actions really concerned about sustainabilityeng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Sergipepor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectConsumopor
dc.subjectAdolescentespor
dc.subjectSustentabilidadepor
dc.subjectConsumptioneng
dc.subjectTeenagereng
dc.subjectSustainabilityeng
dc.titleAdolescentes e o consumo sustentável : percepções e estilos de vidapor
dc.typeDissertaçãopor
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4842596922537794por
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8084338011353197por
dc.contributor.advisor1Vargas, Maria Augusta Mundimpt_BR
dc.description.resumoA motivação para este estudo surgiu da percepção do discurso ambiental que desloca a problemática da produção industrial de mercadorias para a preocupação com os níveis e padrões de consumo, configurando o adolescente como agente de mudanças rumo à sustentabilidade presente e futura. Diante da emergência de repensar hábitos e estilos de vida, destacam-se as preocupações com os aspectos sociais, econômicos, culturais, ambientais e espaciais. Desta forma, observam-se as diversas problemáticas relativas ao consumo e ao público adolescente, como a falta de reflexão e de diálogo sobre as práticas de consumo; as estratégias de persuasão do marketing; a falta de dados sobre os aspectos simbólicos inerentes à prática do consumo como fenômeno social e repercussão dos debates sobre o tema que fixam suas atenções sobre a relação produção-aquisição-descarte, sem levar em consideração fatores perceptivos dos sujeitos. Neste sentido, pergunta-se: sob a perspectiva do consumo sustentável, como se apresenta a percepção dos adolescentes quanto aos seus hábitos de consumo e estilos de vida? A pesquisa está centrada no paradigma interacionista simbólico de base fenomenológica e foi realizada na cidade de Lagarto (SE), em uma instituição de ensino federal, com turmas do ensino médio integrado. Neste sentido, considera-se a escola como uma das principais instituições partícipes do desenvolvimento do adolescente, juntamente à família e aos grupos em que estão inseridos. Com efeito, foi desenvolvida pesquisa exploratória, descritiva qualitativa e quantitativa, cujos meios de investigação com base na percepção, são de natureza bibliográfica, documental e de campo. Nesta perspectiva, pretendeu-se formular instrumentos de pesquisa adequados, a exemplo do questionário, entrevistas semiestruturadas e diário de observação. Após a coleta de dados, optou-se pela análise de conteúdo, segundo Bardin (1977). Assim, diante das reflexões à luz dos referenciais teóricos e resultados obtidos, a pesquisa contribuiu para a ampliação da discussão sobre o consumo sustentável, podendo subsidiar novas abordagens e interações sobre o tema na escola, na família e em outras instituições. Os resultados confirmaram a hipótese na qual a maioria dos adolescentes participantes do estudo tem a percepção que seus hábitos de consumo e estilos de vida influenciam no âmbito socioambiental, embora existam nuances diferenciados entre o plano perceptivo (percebido) e o plano das ações (vivido). O plano perceptivo apresenta-se mais convergente com os propósitos do consumo sustentável, enquanto, no plano das ações, algumas práticas se encontram em estágios intermediários ou não convergentes. Cabe ressaltar que, de forma geral, os adolescentes possuem grande potencial de construírem uma sociedade mais sustentável, se puderem, é claro, refletir sobre o que de fato constitui-se ―necessidade‖ e tiverem apoio conjunto das esferas pública e privada em projetos e ações realmente preocupadas com a sustentabilidadepor
dc.publisher.programPós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambientepor
dc.subject.cnpqCNPQ::OUTROSpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsUFSpor
Appears in Collections:Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ROSANA_ROCHA_SIQUEIRA.pdf3,45 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.