Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/5413
Tipo de Documento: Dissertação
Título: Caracterização litoestratigráfica e paleontológica do Membro Boacica da Formação Batinga, Neocarbonífero da bacia de Sergipe-Alagoas
Autor(es): Farias, Ricardo Monteiro
Data do documento: 22-Fev-2013
Orientador: Andrade, Edilma de Jesus
Resumo: O Membro Boacica da Formação Batinga, da bacia de Sergipe-Alagoas, ocorre entre os altos estruturais de Japoatã (SE), Penedo e Palmeira Alta (AL), sendo caracterizado pela intercalação rítmica de siltitos laminados, folhelhos e arenitos muito finos, atribuídos a um sistema deposicional de frentes deltaicas e prodeltas. Apesar do conteúdo fossilífero ser muito pobre, algumas análises recuperaram palinomorfos característicos do Eo a Mesopensilvaniano (Neocarbonífero), e alguns níveis são localmente abundantes em icnofósseis. As associações icnológicas são pouco diversificadas, representadas por icnitos de repouso ou locomoção. A descoberta de icnofósseis, associada ao surgimento de novos afloramentos, favoreceu a realização de novos estudos litoestratigráficos e paleontológicos mais detalhados nesta unidade. Esse estudo teve como principal objetivo realizar a caracterização litoestratigráfica e paleontológica em dois afloramentos desta unidade, Batinga 5 e Pescocinho 3. As seções caracterizam-se por intercalações rítmicas de folhelhos, siltitos laminados e maciços de coloração cinza esbranquiçada, com arenitos muito finos de coloração creme, exibindo padrões cíclicos ora de coarsening upward ora de fining upward refletindo mudanças no processo deposicional. Os arenitos de maneira geral apresentam estruturas de climbing-ripples. De acordo com sucessões estratigráficas levantadas nestes afloramentos, oito fácies sedimentares foram observadas, constatando-se que os depósitos sugerem fácies de prodelta, frente deltaica, lobos turbidíticos, fundo de lago, crevasses, fluviais e detritos englaciais. Os icnofósseis foram observados ao longo de algumas fácies analisadas e em diferentes litotipos (folhelhos, siltitos e arenitos), porém não são tão abundantes em Batinga 5. Os icnofósseis apresentaram-se como estruturas de bioturbação, caracterizando icnitos de repouso, locomoção e pastagem. As pistas são de tamanhos reduzidos apresentando-se como pistas bilobadas, retas ou curvas, ovaladas, impressões em forma de grãos de café e outras pistas irregulares com cruzamentos aleatórios. Os traços que foram classificados como pertencentes à icnoespécie Isopodichnus problematicus Schindewolf, 1921 e aos icnogêneros Rusophycus Hall, 1852, Helminthoidichnites Fitch, 1850 e Aulichnites Fenton & Fenton, 1937 são mais frequentes nos siltitos e folhelhos. A icnoespécie Paganzichnus carboniferus Pazos, 2000 juntamente com os icnogêneros Gordia Emmons, 1844 e Scoyenia White, 1929 são mais frequentes nas fácies arenosas do prodelta, embora também sejam encontrados em fácies sílticosargilosas. Provavelmente, esses traços foram gerados por atividades de artrópodes, crustáceos branquiópodos e organismos nematomorfos. Também foi verificado um morfotipo não identificado nomeado Morfotipo A que exibe pequenos traços curtos com formas alongadas, com uma trajetória reta a pouco curva, com direções variadas e estão preservados em hiporrelevo convexo ou epirrelevo côncavo estando frequentes tanto em fácies lamosas prodeltaicas quanto em fácies arenosas da frente deltaica. A associação dos traços aqui estudados caracteriza um ambiente subaquoso, lamoso, relativamente calmo e raso podendo representar as icnofácies Mermia (lacustre) e Scoyenia (transicional).
Abstract: The Boacica Member of the Batinga Formation, in the Sergipe-Alagoas basin, occurs on the high structural Japoatã (SE), Penedo and Palmeira Alta (AL), characterized by rhythmic intercalation of laminated siltstones, shales and very fine sandstones, assigned to a system depositional deltaics fronts and prodeltas. Despite very poor fossiliferous content, some analyzes recovered palynomorphs characteristic from the Eo Mesopennsylvanian (Neocarboniferous), and some levels are locally abundant ichnofossils. Ichnological associations are poorly diversified, represented by traces of rest or locomotion. The discovery of trace fossils associated with the emergence of new outcrops, allowed the new studies lithostratigraphic and paleontological detailed in this unit. This study had to perform the characterization lithostratigraphic and paleontological in two outcrops of this unit, Batinga 5 and Pescocinho 3. The sections are characterized by rhythmic intercalations of shales, siltstones laminated and massives of whitish gray color, with very fine sandstones cream colored, sometimes showing cyclical patterns of coarsening upward prays fining upward reflecting changes in the depositional process. The sandstones generally show structures climbing-ripples. According to the stratigraphic succession raised in these outcrops, eight sedimentary facies were observed, confirming that the deposits of facies suggest prodelta, delta front, turbidite lobes, lake bottom, fluvial, crevasses and the debris englaciais. The ichnofossils were observed along some facies and analyzed in different lithologies (shales, siltstones and sandstones) but are not as abundant in Batinga 5. The ichnofossils presented themselves as bioturbation structures, featuring brands resting, locomotion and pasture. Traces are reduced sizes and present as bilobates thrails, straight or curved, oval, in a "coffee beans" form and other tracks irregular with random crossing. The traces were classified as belonging to the ichnospecie Isopodichnus problematica Schindewolf, 1921 and ichnogenus Rusophycus Hall, 1852, Helminthoidichnites Fitch, 1850, Aulichnites Fenton & Fenton, 1937, are more common in siltstones and shales. The ichnospecie Paganzichnus carboniferus Pazos, 2000 together with ichnogenus Gordia Emmons, 1844 and Scoyenia White, 1929, are more common in sandy prodeltaic facies, although also found in siltstones-shale facies. Probably these traces were generated by activities of the arthropods, branchiopods crustaceans and organisms nematomorph. It was also verified that one morphotype was named as Morphotype A . This morphotype displays small short lines with elongated shapes, with a straight path to curve slightly, with differents directions and is preserved in convex hyporelief or concave epirelief both being frequent in muddy facies prodeltaics as in sandy facies of deltaic front. The association of the traces studied here features a subaqueous environment, muddy, shallow and relatively calm may represent the ichnofacies Mermia (lake) and Scoyenia (transitional).
Palavras-chave: Geociências
Litofácies
Traços fósseis
Paleontologia
Bacia de Sergipe-Alagoas
Earth sciences
Ichnofossils
Lithofacies
Paleontology
Trace fossils
Carbonífero
área CNPQ: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS
Idioma: por
Programa de Pós-graduação: Pós-Graduação em Geociências e Análise de Bacias
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/5413
Aparece nas coleções:Mestrado em Geociências e Analise de Bacias

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RICARDO_MONTEIRO_FARIAS.pdf15,86 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.