Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/5905
Document Type: Dissertação
Title: Percepção de leigos e odontólogos quanto às assimetrias simuladas no terço inferior da face em diferentes etnias
Authors: Barbosa, Priscilla Bispo de Carvalho
Issue Date: 26-Feb-2016
Advisor: Paranhos, Luiz Renato
Resumo : A mensuração da beleza facial é bastante subjetiva, portanto quando se pensa em restabelecer a harmonia facial e a função do sistema estomatognático, deve-se buscar conhecer as nuances das características individuais e étnicas de cada paciente, além de suas necessidades para a instituição de um adequado plano de tratamento. Assim, o objetivo principal da presente pesquisa foi comparar a percepção estética de leigos e cirurgiões-dentistas em relação a assimetrias faciais simuladas no terço inferior da face, em diferentes etnias. Para tanto, foram selecionadas três modelos femininas (branca, amarela e negra), nas quais foram realizadas alterações simuladas no terço inferior da face, unilateralmente, de dois em dois graus até atingir a alteração de oito graus. Ao final, foi obtido um total de 15 imagens (cinco de cada modelo). Para avaliação dessas imagens, foi utilizada uma amostra composta por 60 indivíduos divididos igualmente entre cirurgiões-dentistas (ortodontistas e cirurgiões buco-maxilo-faciais) e leigos. As imagens foram apresentadas, por meio de slides em Power Point, aos avaliadores que realizaram suas análises respondendo a um questionário que continha, em um primeiro momento, perguntas referentes ao grau de agradabilidade facial das imagens apresentadas (expresso por uma escala intervalar numérica de zero a dez) e à necessidade de intervenção das mesmas, posteriormente, perguntas relativas à qual seria a imagem mais e a menos agradável de uma mesma modelo. Para a análise estatística dos dados foi utilizado o teste Kruskall Wallis (p < .05) para avaliar a existência de diferença estatística na percepção estética dos grupos de avaliadores quanto aos graus de alteração facial instituídos e em relação às etnias utilizadas na pesquisa e o teste Mann- Whitney (p < .05) para verificar entre quais grupos ocorria tal diferença e se existia a influência do gênero do avaliador em sua percepção das assimetrias faciais. De acordo com os testes estatísticos utilizados, foi verificado que ortodontistas e leigos apresentaram o mesmo nível de percepção quanto às alterações faciais até quatro graus de desvio, ortodontistas e cirurgiões buco-maxilo-faciais avaliaram de modo diferente as alterações faciais até quatro graus e que leigos e cirurgiões buco-maxilo-faciais apresentaram olhares diferentes quanto à percepção das alterações faciais em todos os níveis de alteração. Quanto à verificação da diferença estatística entre as etnias avaliadas, foi observado que entre as etnias branca e amarela, apenas apresentou diferença em dois graus de alteração facial, entre as etnias branca e negra, houve diferença em zero, dois e quatro graus, e entre as etnias amarela e negra não houve diferença estatisticamente significante. Em relação ao gênero do avaliador, foi constatado que homens e mulheres apresentaram níveis de percepção semelhantes quanto às deformidades faciais promovidas. Foi possível concluir que os cirurgiões buco-maxilo-faciais foram mais hábeis em detectar as alterações faciais instituídas, sugerindo que a formação do profissional promove um olhar diferenciado na percepção de assimetrias faciais, que a etnia possui papel relevante na percepção da alteração facial e que o gênero do avaliador não exerceu influência na percepção das assimetrias faciais.
Abstract: The measurement of facial beauty is rather subjective, therefore when attempting to reestablish facial harmony and stomatognathic system function, one should learn the nuances of individual and ethnic characteristics of each patient, as well as their needs, in order to set an adequate treatment plan. Thus, the main objective of the present research was to compare the esthetic perception of lay people and dentists regarding asymmetries simulated in the inferior third of the face, in different ethnicities. Hence, three female models were selected (white, yellow, and black) and simulated alterations were performed in the inferior third of their faces, unilaterally, in every two degrees up to eight degrees of alteration. Finally, a total of 15 images was obtained (five of each model). A sample including 60 individuals equally divided between dentists (orthodontists, and oral-maxillofacial surgeons) and lay people evaluated these images. The images were presented in Power Point slides to the evaluators who made their analyses by answering a questionnaire that included, at first, questions regarding the level of facial pleasantness of the images presented (expressed by a numerical interval scale from zero to ten) and the need for intervention. Later, there were questions regarding what images were more and less pleasant for the same model. For data statistical analysis, the Kruskall Wallis test (p < .05) was used to assess the presence of statistical difference in the esthetic perception of the groups of evaluators regarding the degrees of facial alteration and the ethnicities used in the research; and the Mann- Whitney test (p < .05) was used to verify between which groups such difference occurred and whether the gender of evaluators had an influence on their perception of facial asymmetries. According to the statistical tests used, it was verified that orthodontists and lay people presented the same level of perception regarding facial alterations up to four degrees of deviation, orthodontists and oral-maxillofacial surgeons had a different assessment of facial alterations up to four degrees, and lay people and oral-maxillofacial surgeons had different overviews regarding the perception of facial alterations in all degrees of alteration. As for the verification of statistical difference among the ethnicities evaluated, white and yellow ethnicities presented difference in two degrees of facial alteration; white and black ethnicities presented difference in zero, two, and four degrees; and yellow and black ethnicities did not present statistically significant difference. As for the gender of the evaluator, it was found that men and women presented similar levels of perception regarding the facial deformities promoted. It was concluded that oral-maxillofacial surgeons were more skilled in detecting the facial alterations established, which suggests that the professional education provides a different overview in the perception of facial asymmetries, ethnicity plays a relevant role in the perception of facial alterations, and the gender of the evaluator had no influence in the perception of facial asymmetries.
Keywords: Odontologia
Assimetria facial
Estética
Julgamento
Mandíbula
Percepção
Facial asymmetry
Esthetics
Judgement
Mandible
Perception
Subject CNPQ: CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
Sponsorship: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES
Language: por
Country: Brasil
Publisher / Institution : Universidade Federal de Sergipe
Institution: UFS
Program Affiliation: Pós-Graduação em Odontologia
Citation: BARBOSA, Priscilla Bispo de Carvalho. Percepção de leigos e odontólogos quanto às assimetrias simuladas no terço inferior da face em diferentes etnias. 2016. 58 f. Dissertação (Pós-Graduação em Odontologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2016.
Rights: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/5905
Appears in Collections:Mestrado em Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PRISCILLA_BISPO_CARVALHO_BARBOSA.pdf969,32 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.