Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/6564
Document Type: Dissertação
Title: Florística, estrutura fitossociológica e produção de serapilheira do manguezal do rio São Francisco
Other Titles: Floristic, phytosociological structure and litterfall of mangrove forests of São Francisco river
Authors: Santos, Tiago de Oliveira
Issue Date: 26-Feb-2013
Advisor: Holanda, Francisco Sandro Rodrigues
Resumo : A presente Dissertação de Mestrado apresenta os resultados da pesquisa realizada no âmbito do Projeto AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE FLORESTAS DE MANGUE COMO SEQUESTRADORAS DE CARBONO UFRJ / UFS / UERJ (Estudo de Caso da Floresta de Mangue da Região Estuarina do rio São Francisco - Sergipe/Alagoas), com o apoio do Laboratório de Erosão e Sedimentação, vinculado ao Departamento de Engenharia Agronômica da Universidade Federal de Sergipe. O passivo ambiental criado por conta do uso não sustentável dos recursos naturais ao longo dos anos vem suprimindo e/ou degradando uma porção significativa de manguezais, principalmente no que diz respeito a ocupação e exploração desordenada de suas áreas. Dessa forma, o levantamento de informações sobre a estrutura da vegetação torna-se uma valiosa ferramenta para o conhecimento do estado atual dos mesmos. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi caracterizar a composição florística, estrutura fitossociológica e produção de serrapilheira do manguezal do estuário do rio São Francisco, Sergipe. Essa ação fornecerá uma descrição estrutural da comunidade arbóreo-arbustiva do manguezal e os fatores que promovem alterações nessas comunidades. Os resultados encontrados revelam que o manguezal do rio São Francisco apresenta desenvolvimento heterogêneo, apresentando-se mais elevado na região intermediária do estuário, onde é menor a influência dos impactos antropogênicos. Foram registradas as espécies: Avicennia schaueriana, Laguncularia racemosa e Rhizophora mangle. A altura média das árvores variou de 2,88 a 15,63 m, o DAP médio de 3,95 a 19,74 cm, a área basal viva de 4,22 a 47,83 m2.ha-1 e a densidade de troncos vivos de 375 a 9100 troncos.ha-1. A produção média anual de serrapilheira foi de 13,53 t.ha-1.ano-1 e 13,21 t.ha-1.ano-1, no primeiro e segundo ano, respectivamente. De modo geral, a produção de serapilheira, por compartimento, apresentou a seguinte ordem decrescente: Folhas > Galhos e Ramos > Estípulas > Frutos e Propágulos > Miscelânea > Flores. Dos tensores identificados no estuário, os que promovem maiores impactos são a erosão marinha e atividades antrópicas, ambos promovem a supressão de grandes áreas.
Abstract: This Master's Thesis presents the results of research conducted under the Project ASSESSMENT OF POTENTIAL AS SEQUESTRANT MANGROVE FORESTS CARBON - UFRJ / UFS / UERJ (Case Study of Mangrove Forest River Estuarine Region of San Francisco - Sergipe / Alagoas), with the support of the Erosion and Sedimentation Laboratory, part of the Department of Agricultural Engineering, Federal University of Sergipe. The environmental liabilities created on account of unsustainable use of natural resources over the years has been suppressing and / or degrading a significant portion of mangroves due to the disorderly occupation and exploitation of their areas. Thus, gathering information on vegetation structure becomes a valuable tool for understanding the current state of the same. In this context, the objective of this study was to characterize the floristic, phytosociological structure and litterfall of the mangrove estuary of the river São Francisco, Sergipe. This action will provide a structural description of the community of mangrove trees and shrubs and the factors that promote change in these communities. The results show that the mangrove river São Francisco present a heterogeneous development, presenting higher in the intermediate region of the estuary, where there is less influence of anthropogenic impacts. We recorded species: schaueriana Avicennia, Avicennia germinans, Laguncularia racemosa, Conocarpus erectus and Rhizophora mangle. The average height of forests ranged from 2.88 to 15.63 m, the DBH 3.95 to 19.74 cm, basal area, live from 4.22 to 47.83 m2.ha-1 and density logs Live 375-9100 trunks.ha-1. The annual litter production was 274.43 t.ha-1.year-1 in the first year and 267.92 t.ha-1.year-1 in the second year. Generally, litter production, per compartment, submitted the following descending order: Leaves > Twigs and Branches > Stipules > Fruits and Propagating Material > Miscellaneous > Flowers. Tensors identified in the estuary, the largest impacts are promoting marine erosion and human activities, both promote the removal of large areas.
Keywords: Ecossistemas
Comunidades vegetais
Mangues florestais - São Francisco, Rio, Bacia
Serapilheira
Biotic communities
Forest litter
Mangrove forest
Plant communities
Subject CNPQ: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA
Language: por
Program Affiliation: Pós-Graduação em Agroecossistemas
Rights: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/6564
Appears in Collections:Mestrado em Agroecossistemas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TIAGO_OLIVEIRA_SANTOS.pdf2,61 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.