Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/6786
Tipo de Documento: Monografia
Título: Avaliação ecotoxicólogica da água do Rio Siriri, Sergipe
Título(s) alternativo(s): Ecotoxicological evaluation of water from the Siriri River, Sergipe
Autor(es): Alves, José Bruno Melo
Data do documento: 11-Dez-2015
Orientador: Gonçalves, Jeamylle Nillin
Resumo: A sub-bacia hidrográfica do Siriri está inserida na bacia hidrográfica do rio Japaratuba l no estado de Sergipe, sendo sua área utilizada para atividades relacionadas a extração de minério e atividades agropecuárias como plantações de cana-de-açucar, milho, mandioca e a criação de animais de corte. Além destas atividades que podem ocasionar impactos no rio, há também outras atividades potencialmente poluidoras na extensão do rio como o lançamento de efluentes domésticos e industriais. Uma ferramenta que tem sido utilizada para avaliar a qualidade das águas do rio Siriri são os testes ecotoxicologicos . Neste sentido , o objetivo desse trabalho foi avaliar os efeitos fitotóxicos das águas do rio Siriri sobre as sementes de Lactuca sativa (alface) e Brassica oleracea (Couve). As coletas de água foram realizadas nos meses de Abril/2013, Junho/2013, Dezembro/2013 e Abril/2014 em cinco estações. Em campo foram realizadas as análises físico-químicos referente ao pH, temperatura e oxigênio dissolvido. Outras análises referentes aos parâmetros ambientais foram realizadas no ITPS. Os testes ecotoxicológicos foram elaborados na Universidade Federal de Sergipe (UFS) no Laboratório de Estudos Ecotoxicológicos (LESE). Para isso, foram expostas as sementes de L. sativa e B. oleracea as amostras coletadas das diferentes estações. Foram utilizadas 15 sementes por placa de Petr, já forradas com papel filtro e umedecidas com 2,5 mL das amostras coletas, as placas foram tampadas e forradas com filme plástico do tipo PVC e colocadas em estufa tipo B.O.D totalmente no escuro por cinco dias, a uma temperatura de 25ºC±2º. Para cada ensaio foram realizadas três réplicas. Após esse período as sementes germinadas (radículas > 20mm) foram contadas e medidas com um auxílio de um paquímetro digital. O controle negativo foi realizado com água destilada e seguiu o mesmo procedimento. Para identificar se houve inibição ou estímulo na germinação foi realizado uma Análise de Variança (ANOVA) seguida de teste Dunnet (p< 0,05) e para identificar se houve variação espacial na germinação das sementes foi realizada ANOVA seguida de Tukey (p< 0,05). Ainda foi feito uma ANOVA seguida de teste Dunnett (p< 0,05) para analisar se houve inibição ou estímulo no comprimento das radículas das sementes. As análises químicas mostraram que a demanda bioquímica de oxigênio e a condutibilidade elétrica aumentaram no sentido jusante das estações de coleta e que a quantidade de coliformes Termotolerantes foi maior que o estabelecido pelo CONAMA 357/05. Os bioensaios mostraram que as sementes de L. sativa expostas as mostras da estação 4 da campanha 4 sofreram inibição em sua germinação. Em relação a variação espacial foi possível observar que as estações 3 e 4, referentes as campanhas 2 e 4 tiveram as menores porcentagens de germinação. Isso pode ter ocorrido pela presença de derivados do petróleo já que há extração desse minério nas margens da estação 3 e da entrada de metais pesados oriundos nos agrotóxicos utilizados na plantação de cana-de-açucar que margeia a estação 4. A germinação da B. oleracea não variou. As sementes de L. sativa se mostraram mais sensíveis a alterações no ambiente que as sementes de B. oleracea. Isso pode ter ocorrido pela pouca quantidade de endosperma representado pelas sementes de L.sativa, contudo ambas radículas sofreram variações no seu comprimento isso pode ser explicado pelo fato que a quantidade superior de endospema que as sementes de B. oleracea possuem protegeu por mais tempo o embrião e assim sua germinação não foi afetada, no entanto como parte do endosperma já tinha sido danificado seu crescimento inicial foi lesado. As sementes de L.sativa se mostraram mais eficientes em testes relacionados a fitotoxicidades de ambientes aquático por conta disso é recomendado que elas sejam utilizadas nesses tipos de experimentos.
Palavras-chave: Ecologia
Ecology
Ensino de ecologia
Ecology teaching
Rio Siriri (sergipe)
Rio Siriri
área CNPQ: CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA::ECOLOGIA DE ECOSSISTEMAS
Idioma: por
Sigla da Instituição: Universidade Federal de Sergipe
Departamento: DECO - Departamento de Ecologia – São Cristóvão - Presencial
Citação: ALVES, José Bruno Melo. Avaliação ecotoxicólogica da água do Rio Siriri, Sergipe. 2015. Monografia (Bacharel em Ecologia) - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Ecologia, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2015
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/6786
Aparece nas coleções:Ecologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
José Bruno Melo Alves.pdf883,83 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.