Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/7028
Tipo de Documento: Monografia
Título: Dieta de morcegos filostomídeos (Mammalia:Chiroptera) no Parque Nacional de Itabaiana, Sergipe
Autor(es): Silva, Allana Pereira Santos da
Data do documento: 6-Ago-2014
Orientador: Bocchiglieri, Adriana
Resumo: As diversas espécies de morcegos possuem uma grande variedade de hábitos alimentares, atuando nos processos ecológicos das florestas tropicais e favorecendo a manutenção da diversidade nesses ambientes através da dispersão de sementes. O presente estudo teve como objetivo caracterizar a dieta e verificar se há segregação de nicho alimentar entre os morcegos da família Phyllostomidae que ocorrem no Parque Nacional Serra de Itabaiana (PNSI). A área estudada representa uma transição entre a Mata Atlântica e Caatinga, localizado no agreste do estado de Sergipe. A coleta de dados foi realizada entre agosto de 2011 a junho de 2013, em duas noites/mês, utilizando redes de neblina das 18:00 às 24:00h, alternadamente em duas áreas florestais associadas a riachos. Os animais capturados foram acondicionados em sacos de algodão por cerca de meia hora para coleta de amostras fecais. As amostras de cada espécie de morcego foram analisadas para quantificar a frequência de ocorrência de cada item alimentar em suas dietas. Para cada espécie de morcego foram avaliadas diferenças na composição da dieta entre machos e fêmeas, através do teste G, a largura e sobreposição do nicho. Foram coletadas 170 amostras fecais pertencentes a cinco espécies de morcegos frugívoros: Carollia perspicillata (N = 86), Phyllostomus discolor (N = 34), Dermanura cinerea (N = 18), Artibeus lituratus (N = 18) e Artibeus planirostris (N = 14). Sementes de Vismia guianensis (Hypericaceae) prevaleceram na dieta de C. perspicillata (49,2%). Sementes de Urticaceae foram mais frequentes em P. discolor (93,7%) e A. lituratus (44,4%) e Moraceae foi mais frequente na dieta de A. planirostris (49,9%) e D. cinerea (58,3%). Não houve diferença na composição da dieta entre machos e fêmeas das espécies estudadas. Carollia perspicillata foi a espécie mais generalista enquanto P. discolor foi a mais especialista, refletindo em estratégias diferenciadas na exploração dos recursos. Houve alta sobreposição de nicho trófico entre as espécies, porém a frequência no consumo dos itens variou entre as espécies ao longo do ano. Provavelmente, isso deve-se à uma estratégia para minimizar a competição pelo recurso, visto que os principais frutos consumidos referem-se às espécies vegetais características de ambientes alterados e que são frequentemente encontradas na localidade.
Palavras-chave: Ecologia
Morcegos
Parque Nacional da Serra de Itabaiana (SE)
Nutrição de morcegos
Mammalia chiroptera
área CNPQ: CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA::ECOLOGIA DE ECOSSISTEMAS
Idioma: por
Sigla da Instituição: Universidade Federal de Sergipe
Departamento: DECO - Departamento de Ecologia – São Cristóvão - Presencial
Citação: SILVA, Allana Pereira Santos da. Dieta de morcegos filostomídeos (Mammalia:Chiroptera) no Parque Nacional de Itabaiana, Sergipe. 2014. Monografia (Bacharelado em Ecologia) - Departamento de Ecologia, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2014.
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/7028
Aparece nas coleções:Ecologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Allana_Pereira_Santos_Silva.pdf855,8 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.