Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/7992
Document Type: Relatório
Title: Estudo da fluidodinâmica e da secagem de resíduos do processamento do cacau em leito fluidizado
Authors: Macedo, Albert Santos
Issue Date: 2017
Advisor: Prado, Manoel Marcelo do
Resumo : O aproveitamento energético de resíduos do cacau gerados em seu processamento tem despertado os interesses científico e econômico mundiais nos últimos anos. Sabendo-se que 80% do cacau é correspondente à casca, principal resíduo, e que este não é utilizado na produção dos chocolates e demais produtos de confeitaria, têm sido buscadas alternativas que possibilitem a utilização deste resíduo para a geração de biomassa. Por se tratarem de produtos de alto consumo em todo o mundo, os chocolates e afins vêm tendo seus processos de beneficiamento estudados a fim de que sejam desenvolvidas formas de melhoramento dos níveis de compostos fenólicos e sabor no produto final. Dentre esses processos, as etapas de fermentação, secagem e torrefação são as que mais contribuem com a perda desses compostos. Desta forma, este trabalho tem como objetivo estudar a viabilidade da utilização dos resíduos gerados no beneficiamento para geração de biomassa através da secagem em leito fluidizado, e ainda, analisar o comportamento fluidodinâmico dos “nibs” de cacau em leito fluidizado para a uma possível aplicação na etapa de torrefação. Devido à estiagem no sul da Bahia, houve ausência de material-resíduo para os experimentos referentes à biomassa. Sendo assim, fez-se a caracterização física dos “nibs” de cacau, avaliando o diâmetro médio, esfericidade e ângulo de repouso, foi feito o estudo fluidodinâmico em leito fluidizado usando três cargas (300, 450 e 600 g) de particulado, bem como a umidificação e secagem dos “nibs” em leito fluidizado utilizando a velocidade de mínima fluidização e o dobro do seu valor. Com isso, avaliou-se o modelo granulométrico RRB como o mais adequado e classificaram-se os “nibs” como partículas do tipo D no grupo de Geldart. Os números de Froude foram de 159, 160 e 153 para as cargas de 300, 450 e 600, respectivamente. Enquanto a velocidade de mínima fluidização se manteve igual a 1,53±0,02 m/s com as diferentes cargas estudadas. Na secagem dos “nibs” foi perceptível a influência da velocidade do ar apenas nos primeiros instantes da secagem, pois, em seguida, o processo passa a ser governado pelo mecanismo difusivo.
Keywords: Engenharia química
Biomassa
Parâmetros de fluidização
Cinética de secagem
Avaliação energética
Subject CNPQ: ENGENHARIAS::ENGENHARIA QUIMICA::OPERACOES INDUSTRIAIS E EQUIPAMENTOS PARA ENGENHARIA QUIMICA
Sponsorship: Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq
Language: por
Institution: Universidade Federal de Sergipe - Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa - Coordenação de Pesquisa
License: Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional (CC BY-NC-ND 4.0)
URI: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/7992
Appears in Collections:27º Encontro de Iniciação Científica da UFS
Engenharias - PIBIC 2016/2017

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EstudoFluidodinamicaSecagem.pdf1,15 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.