Please use this identifier to cite or link to this item: https://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/13681
Document Type: Dissertação
Title: Memória intergeracional : efeito do ambiente materno sobre o desenvolvimento e metabolismo oxidativo da progênie de codornas de postura submetidas ao estresse térmico
Authors: Santana, Thaís Pacheco
Issue Date: 22-Jul-2019
Advisor: Del Vesco, Ana Paula
Co-advisor: Barbosa, Leandro Teixeira
Resumo : Pesquisas demonstram que o efeito do ambiente materno pode ser alterado para produzir efeitos benéficos na progênie através de mecanismos epigenéticos transgeracionais. Dessa forma, este trabalho tem como objetivo geral avaliar o efeito do ambiente materno sobre as respostas da progênie frente ao seu próprio ambiente na fase de crescimento de codornas de postura. Para tanto, dois trabalhos foram conduzidos: Experimento 1: Dieta materna sobre a resposta ao estresse térmico da progênie durante a fase de crescimento (conduzido em esquema fatorial 3 x 2: três dietas para as matrizes, e pra cada tratamento das mães, duas temperaturas para seus filhos) e Experimento 2: Efeito da temperatura no período pré-natal sobre o desempenho e metabolismo oxidativo de codornas de postura expostas ao estresse térmico na fase de crescimento (conduzido em esquema fatorial 2 x 2: duas temperaturas para as matrizes, e pra cada tratamento das mães, duas temperaturas para seus filhos). No experimento 1, matrizes que receberam dietas com suplementação do nível recomendado de metionina (Met1) e dieta com suplementação de metionina a cima do nível de recomendado (Met2) apresentaram maior produção de ovos, melhor eficiência alimentar, maior taxa de eclosão, maior taxa de eclosão de ovos férteis e produziram pintainhos mais pesados (P<0.05). Matrizes alimentadas com dietas Met1 e Met2 também apresentaram maior expressão de glutationa sintetase (GSS) e metionina sulfóxido redutase A (MSRA), maior capacidade antioxidante e menor conteúdo de TBARS. A progênie de matrizes alimentadas com dieta Met2 apresentaram maior peso aos 15 dias, maior ganho de peso e melhor conversão alimentar (1-15 dias de idade) que a progênie de matrizes alimentados com dieta SM. Durante o período de crescimento, para progênie criada em condição de estresse térmico, a progênie de aves alimentadas com dietas com suplementação de metionina apresentaram maior peso aos 35 dias, maior ganho, maior expressão de GSS, MSRA e de proteína do choque térmico 70 (HSP70), maior capacidade antioxidante e menor relação heterofilo:linfócito que a progênie de matrizes alimentadas com dietas SM. Correlação positiva foi observada entre a expressão de GPx e MSRA nas matrizes e em sua progênie (P<0,05). No experimento 2, menor taxa de postura, menor massa de ovo, menor expressão de metionina sulfoxido redutase A (MSRA), menor capacidade antioxidante e maior taxa de mortalidade da progênie na fase inicial (1-15 dias de idade) foi observada em matrizes criadas em condição de estresse térmico (P<0.05). Na fase de crescimento da progenie, não houve efeito da temperatura ambiental sobre o desempenho ou metabolismo oxidativo da progênie de matrizes criadas em condição de conforto. Entretanto, quando a matriz foi submetida ao estresse, menor ganho de peso, menor expressão de MSRA, maior expressão de HSP70, maior conteúdo de proteínas carboniladas e menor relação H/L foi observada nas progênies também criadas em condição de estresse térmico. Os nossos resultados sugerem que o ambiente materno pode influenciar no desempenho e no sistema oxidativo da matriz beneficiando ou não o seu filho futuramente: sob condições de estresse térmico durante a fase de crescimento, progênie de matrizes alimentadas com dietas suplementadas com metionina respondem melhor ao ambiente do que progênie de matrizes alimentadas com dieta sem suplementação de metionina; já o estresse térmico vivenciado pela matriz, apesar de não apresentar efeitos negativos sobre o desenvolvimento e desempenho da progênie criada em conforto térmico, está associado com menor desempenho e maior nível de oxidação proteica quando a progênie também é submetida à condição de estresse.
Keywords: Zootecnia
Codornas
Epigenética
Estresse oxidativo
Metionina
Ambiente materno
Desafio ambiental
Epigenética transgeracional
Subject CNPQ: CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA
Sponsorship: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES
Language: por
Institution: Universidade Federal de Sergipe
Program Affiliation: Pós-Graduação em Zootecnia
Citation: SANTANA, Thaís Pacheco. Memória intergeracional : efeito do ambiente materno sobre o desenvolvimento e metabolismo oxidativo da progênie de codornas de postura submetidas ao estresse térmico. 2019. 84 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2019.
URI: https://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/13681
Appears in Collections:Mestrado em Zootecnia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
THAIS_PACHECO_SANTANA.pdf1,23 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.