Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/4209
Document Type: Dissertação
Title: Agroecologia, resistência e reprodução social: o caso da Associação de Produtores em Agroecologia do município de Pão de Açúcar
Authors: Benatto, Leandro
Issue Date: 27-May-2015
Advisor: Negreiros, Emílio de Britto
Resumo : A agroecologia vem conquistando cada vez mais espaço no mundo rural globalizado. No Brasil, sua inclusão em políticas públicas reflete a demanda e a força política desse segmento protagonizado pelos agricultores familiares, camponeses e comunidades tradicionais. Nesse contexto, o acesso a tais políticas públicas representa, por um lado, uma possibilidade de inserção em mercados, garantindo a geração de renda, autonomia e a reprodução social da agricultura familiar com vistas às transformações sociopolíticas na direção do desenvolvimento rural sustentável e, por outro, opera taticamente como mecanismo de ampliação do capital ao incorporar os produtos e serviços oriundos das práticas e modos de viver e trabalhar do campesinato e o discurso da sustentabilidade como elementos de dinamismo econômico. Diante desta problemática, a presente dissertação apresenta um estudo de caso realizado junto aos agricultores da Associação dos Produtores em Agroecologia do Município de Pão de Açúcar (APAOrgânico) no sertão alagoano e busca compreender o processo de construção da experiência agroecológica da APAOrgânico pelos sujeitos sociais a partir de suas práticas, seus modos de vida, e suas estratégias de reprodução social e, de forma tangencial, como essa experiência se articula e qual a influência das políticas públicas para a tomada de decisão e a adesão à agroecologia. O estudo reconstrói os principais sistemas socioprodutivos engendrados pela agriculta familiar camponesa para viabilizar sua reprodução social (econômica e cultural) na porção ribeirinha do município de Pão de Açúcar em um contexto sociopolítico dominado pela elite agrário-pecuarista e sua expressão moderna: o agronegócio. A pesquisa evidenciou a presença de princípios e práticas agroecológicos realizados pelos agricultores camponeses relacionados ao manejo tradicional do ecossistema ribeirinho como elementos de identidade e de sociabilidade, como a cultivo do arroz em sistema de “batalhão” - prática integrada de agricultura e pesca artesanal -, o cultivo consorciado de algodão com culturas de subsistência, a criação de gado solto na caatinga e a comercialização em feiras e mercados de proximidade. A agroecologia, neste contexto, é parte constituinte do modo de vida dos agricultores ribeirinhos. No entanto, mudanças socioambientais provocaram alterações no modo de vida local, exigindo flexibilidade e desenvolvimento de estratégias para garantir a reprodução social. Desse modo, a organização associativa para produção e comercialização de alimentos orgânicos emerge como diferencial acessado pelos agricultores familiares como uma oportunidade de comercialização, uma possibilidade para viabilizar sua reprodução social. Nesse contexto de múltiplos interesses, de forma dialética o agricultor familiar ribeirinho vinculado à APAOrgânico desenvolve mecanismos de agência e de maneira ativa define suas formas de resistência, seus modos de vida e suas estratégias de reprodução social. Essa experiência concreta aponta para a reflexão das particularidades do ambiente institucional em torno da promoção da agroecologia no contexto local, sendo neste caso fortemente marcado pela conjuntura sociopolítica, pelas relações interpessoais e pelo viés empreendedor, aspectos que irão determinar a forma e o contorno da experiência agroecológica da APAOrgânico.
Abstract: Agro ecology have gained in a contradictory way more space in the global countryside. In Brazil, their inclusion in public policy reflects the demand and the political strength of this segment played by family farmers. In this context, access to such public policies on the one hand represents an opportunity to enter markets, ensuring the generation of income, autonomy and social reproduction of family farming in order to sociopolitical transformations towards sustainable rural development and on the other hand, operates tactically as capital expansion mechanism to incorporate the products and services from the practices and ways of living and working from the peasantry and the discourse of sustainability as economic dynamism elements. Before this problem, this thesis presents a case study to farmers of the Association of Producers in Agro ecology Sugar Loaf County (APAOrgânico) in Alagoas hinterland, and seeks to understand the process of construction of agro ecological experience APAOrgânico by social subjects from their practices, their ways of life, and their social reproduction strategies and, tangentially, as this is articulated and the influence of public policies for decision making and adherence to agro ecology. The study reconstructs the principal socio-productive systems engendered by the family agriculture to facilitate their social reproduction (economic and cultural) in the riverside portion of Sugarloaf municipality in a sociopolitical context dominated by agrarian elite rancher and its modern expression: agribusiness. The research showed the presence of agro ecological principles and practices carried out by peasant farmers related to the traditional management of the coastal ecosystem as identity elements and sociability, such as rice cultivation in "battalion" system, integrated practice of agriculture and artisanal fisheries, cotton intercropping with food crops, creating loose cattle in the bush and marketing at fairs and local markets. Agro ecology in this context is a constituent part of the lifestyle of the coastal farmers. However, social and environmental changes caused changes in lifestyle requiring flexibility and development strategies to ensure social reproduction. Thus, the membership organization for the production and marketing of organic food emerges as differential accessed by farmers as a marketing opportunity, a chance to facilitate their social reproduction. In this context of multiple interests, dialectically the riverside family farmers linked to APAOrgânico agency develops mechanisms and actively define their forms of resistance, their ways of life and their social reproduction strategies. This concrete experience points to the reflection characteristics of the institutional environment around the agro ecology promotion in the local context, in which case strongly marked by the socio-political environment, the interpersonal relations and the entrepreneurial bias, aspects that will determine the shape and contour of experience agro ecological of APAOrgânico.
Keywords: Agroecologia
Agricultura familiar
Reprodução social
Agroecology
Family agriculture
Social reproduction
Subject CNPQ: CNPQ::OUTROS
Sponsorship: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES
Language: por
Country: Brasil
Publisher / Institution : Universidade Federal de Sergipe
Institution: UFS
Program Affiliation: Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente
Citation: Benatto, Leandro. Agroecologia, resistência e reprodução social: o caso da Associação de Produtores em Agroecologia do município de Pão de Açúcar. 2015. 195 f. Dissertação( Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015 .
Rights: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/4209
Appears in Collections:Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LEANDRO_BENATTO.pdf5,59 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.