Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/4584
Tipo de Documento: Tese
Título: O corpo próprio como princípio educativo a partir da perspectiva fenomenológica de Merleau-Ponty
Autor(es): Santos, Luiz Anselmo Menezes
Data do documento: 9-Mar-2012
Orientador: Freitas, Anamaria Gonçalves Bueno de
Resumo: O presente trabalho baseia-se na perspectiva fenomenológica de Merleau-Ponty para fundamentar as evidências de uma interrelação entre a corporeidade, cultura e o sujeito da percepção, apontando, assim, os indícios de um fundamento educativo destinada a pôr o corpo em sintonia com a noção de subjetividade. O objetivo é defender a ideia de Corpo Próprio como princípio educativo, pretendendo estabelecer um estudo acerca de como o corpo nos faz essencialmente seres de relação com o mundo e com os outros. Partimos do pensamento iluminista, para identificar os elementos estruturadores de uma concepção de Educação Física, a partir da relação entre o intelecto, a moralidade e o corpo físico. A intenção foi realizar um mapeamento da forma de pensar a educação do corpo no século XVIII, através da análise das concepções pedagógicas de Locke, Rousseau e Kant, buscando revelar a ideia de corpo educado e, portanto, preparado para a autonomia e a moralidade. A necessidade de educar o corpo foi adotada no cenário da pedagogia moderna, e apesar dos avanços trazidos pela perspectiva iluminista, no que diz respeito à revalorização do corpo no âmbito educacional, encontramos ainda a proposta de um corpo instrumento. Na perspectiva filosófica de Merleau-Ponty, o corpo não é uma coisa nem uma ideia abstrata, ele é presença sensível e intencional, que faz do sujeito perceptivo uma consciência encarnada no mundo, capaz de reaprendê-lo constantemente. Esse processo, no entanto, não é espontâneo; ele necessita de aprendizagem e treino, já que as disposições não brotam de um fundamento metafísico. Este Corpo Próprio, que se manifesta por meio da sua motricidade, apresenta códigos e crenças que foram apropriados em virtude de um determinado padrão cultural produzido e herdado pelo contexto percebido. O corpo que Merleau-Ponty nos apresenta é aquele vivenciado por nós como realização de nossas intenções, desejos e projetos. Neste sentido, percebemos o Corpo Próprio como um princípio que nos possibilita reaprender o mundo. É nesse sentido, que a prática pedagógica precisa ser orientada por um princípio educativo, que nos incentive a meditar e a refletir sobre as conseqüências dos fatos, das próprias ações, e do sentir
Abstract: This work is based on phenomenological perspective of Merleau-Ponty, to substantiate the evidence of an interrelation between the under construction, culture, and the subject of perception, pointing, thus, the evidence of an educational foundation designed to put the body in harmony with the notion of subjectivity. The goal is to defend the idea of the body itself as educational principle, intending to establish a study about how the body makes us essentially beings of relationship with the world and with each other. We thought enlightenment, to identify elements of a design designers of physical education from the relationship between the intellect, morality and the physical body. The intention was to conduct a mapping of thinking education body in the 18th century, through the analysis of pedagogical conceptions of Locke, Rousseau and Kant, seeking to prove the idea of body educated and therefore prepared for the autonomy and morality. The intention was to conduct a mapping of thinking education body in the 18th century, through the analysis of pedagogical conceptions of Locke, Rousseau and Kant, seeking to prove the idea of body educated and therefore prepared for the autonomy and morality. The need to educate the body was adopted in the scenario of modern pedagogy, and despite advances brought by this project, as regards the revaluation of the body under educational, we find the proposal for a body instrument. On the philosophical perspective of Merleau-Ponty, the body is not a thing nor an abstract idea, it is sensitive and intentional presence, which makes the subject a perceptual consciousness incarnated in the world, capable of reaprendê him constantly. This process, however, is not spontaneous; It requires learning and training, since the provisions do not sprout from a metaphysical basis. This body subject, which manifests itself through its drive, displays appropriate codes and beliefs that were due to a particular cultural pattern produced and inherited by perceived context. The body that Merleau-Ponty presents us with is the one we experienced while conducting our intentions, desires and projects. In this sense, we realized the body itself as a principle that enables us to relearn the world. It is in this sense, that the pedagogical practice needs to be guided by a principle of education, we encourage to meditate and reflect on the consequences of the facts, of own shares, and feel.
Este trabajo se basa en la perspectiva fenomenológica de Merleau-Ponty, para corroborar la evidencia de una interrelación entre el bajo construcción, cultura y sujeto de percepción, señalando, por lo tanto, la evidencia de una fundación educativa para poner el cuerpo en consonancia con la noción de subjetividad. El objetivo es defender la idea del propio cuerpo como un principio educativo, con la intención de establecer un estudio acerca de cómo el cuerpo nos hace esencialmente seres de relación con el mundo y entre el outro. Asumimos de la ilustración, para identificar los elementos de un diseñadores de diseño de educación física de la relación entre el intelecto, la moral y el cuerpo físico. La intención era hacer un mapeo de la educación de cuerpo de pensamiento en el siglo XVIII, a través del análisis de las concepciones pedagógicas de Locke, Rousseau y Kant, tratando de probar la idea de cuerpo educado y por lo tanto, preparado para la autonomía y la moralidad. La necesidad de educar el cuerpo fue adoptada en el escenario de la pedagogía moderna, y a pesar de los avances llevados por este proyecto, en cuanto a la revalorización del cuerpo bajo educativo, encontramos incluso el instrumento propuesto cuerpo. En la perspectiva filosófica de Merleau-Ponty, el cuerpo no es uno ni una idea abstracta, es sensible y presencia intencional, lo que hace el sujeto una conciencia perceptual encarnado en el mundo, capaz de reaprendê le constantemente. Este proceso, sin embargo, no es espontáneo; Él necesita de aprendizaje y capacitación, ya que las disposiciones no brotan de una base metafísica. Este tema de cuerpo, que se manifiesta a través de su unidad, muestra códigos adecuados y creencias que eran debido a un determinado patrón cultural producido y heredado por contexto percibido. El cuerpo que Merleau-Ponty nos presenta con es el que experimentamos mientras realizaba nuestras intenciones, deseos y proyectos. En este sentido, nos dimos cuenta el propio cuerpo como un principio que nos permite a reaprender el mundo. Es en este sentido que la práctica pedagógica debe ser impulsado por un principio educativo, que nos anima a meditar y reflexionar sobre las consecuencias de los hechos, las acciones propias y sentir
Palavras-chave: Filosofia da educação
Corporeidade
Merleau-Ponty
Corpo próprio
Fenomenologia
Fhilosophy of education
Own body
Phenomenology
Filosofía de la educación
Cuerpo Proprio
Fenomenología
área CNPQ: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição/Editora: Universidade Federal de Sergipe
Sigla da Instituição: UFS
Programa de Pós-graduação: Pós-Graduação em Educação
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/4584
Aparece nas coleções:Doutorado em Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LUIZ_ANSELMO_MENEZES_SANTOS.pdf1,36 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.