Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/5442
Document Type: Tese
Title: O (des)conceito de Homem na leitura do espaço-tempo postulado na Geografia Humana : os enigmas de uma Geografia Humana sem homens
Authors: Dutra Júnior, Wagnervalter
Issue Date: 26-Aug-2015
Advisor: Conceição, Alexandrina Luz
Resumo : A presente Tese de doutorado, objetiva refletir a concepção de homem inscrita na leitura do espaço-tempo postulada pela geografia humana no contexto moderno e iluminista. Inicialmente foi desenvolvida a leitura da concepção de homem a partir experiência espaço-temporal emancipatória da modernidade e da universalização do valor de troca, da circularidade do espaço-tempo do capital onde as relações sociais efetivam uma geografia expressa nas passagens parisienses, representativas da ampliação fetichista do domínio mercantil assim como da ampliação dos processos de distanciamento da objetivação ontológica a partir do valor de uso, estando a produção do espaço-tempo e do homem plasmadas pelo domínio do valor. A leitura da modernidade, subjacente ao processo da universalização do valor de troca, busca os meandros da experiência do espaço-tempo que se estrutura a partir da sociabilidade estabelecida pelo sistema do capital e do projeto emancipatório que o desenvolvimento das forças produtivas e relações de produção inscritas na contradição capital x trabalho consubstanciou. Os avanços e o redimensionamento emancipatório da experiência moderna efetiva, são evidentes, todavia, limites são impostos em razão do controle e dominação que a propriedade privada e o valor de troca exercem nessa experiência lastreada pela abstração do Estado político e da sociedade civil. A emancipação adquire um sentido que acaba por expressar um homem parcial, livre no campo da emancipação política, como cidadão, mas que ainda desconhece a emancipação humana. Nessa conjuntura a razão e o progresso acabam por ampliar os aspectos alienantes que estão postos na divisão social do trabalho respaldada no valor de troca, e à práxis se coloca na tarefa de mediação efetiva entre a emancipação política e a emancipação humana. A geografia humana, contextualizada em seus liames institucionais corrobora com o espaço-tempo produzido para o capital a partir da produção dos territórios do trabalho / riqueza abstrata, para estabelecer uma leitura do homem como externalidade espaço-temporal, alienado socialmente e espacialmente.
Abstract: This Doctoral Thesis, aim to reflect the conception of man inscribed in the reading of space-time postulated by human geography in the modern and iluminist context. It was initially developed the conception of man by the reading from the emancipatory space-temporal experience of modernity and universalization of exchange value, of the circularity of the capital space-time where social relations composes a geography expresses in Parisian passages, representing the fetishistic expansion of commercial domain as well as the expansion of distance processes of the ontological objectivity from the use value, with the production of space-time and man molded by the domain of value. The reading of modernity, underlying the universal process of exchange value, searches the intricacies of the experience of space-time that is structured from the sociability established by the capitalist system and the emancipatory project that the development of productive forces and production relations registered in the capital x work embodied contradiction. The progress and the emancipatory resizing of effective modern experience are evident, however, limits are imposed because of the control and domination that private property and exchange value exert in this experience backed by the abstraction of the political State and civil society. Emancipation acquires a meaning that ends up expressing a partial man, free in the field of political emancipation, as a citizen, but still unaware of the human emancipation. At this conjuncture the reason and progress eventually expand the alienating aspects that are set by social division of labor supported in the exchange value, and the praxis arises as mediator between political emancipation and human emancipation. Human geography, contextualized in its institutional bonds corroborates with the produced space-time to the capital by the production of work territories/abstract richness, to establish a reading of a man as externality spacetemporal, socially and spatially alienated .
Keywords: Geografia
Geografia humana
Civilização moderna
Iluminismo
Homem
Liberdade
Modernidade
Emancipação
Modernity
Iluminism
Man
Emancipation
Human geography.
Subject CNPQ: CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher / Institution : Universidade Federal de Sergipe
Institution: UFS
Program Affiliation: Pós-Graduação em Geografia
Citation: Dutra Júnior, Wagnervalter. O (des)conceito de Homem na leitura do espaço-tempo postulado na Geografia Humana : os enigmas de uma Geografia Humana sem homens. 2015. 274 f. Tese (Pós-Graduação em Geografia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.
Rights: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/5442
Appears in Collections:Doutorado em Geografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
WAGNERVALTER_DUTRA_JUNIOR.pdf2,7 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.