Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/5962
Document Type: Dissertação
Title: Por uma clínica de(s)território no contexto do SUS : itinerâncias de uma narrativa cartográfica
Authors: Amaral, Mariane Marques Santos
Issue Date: 18-May-2015
Advisor: Melo, Liliana da Escóssia
Resumo : O presente trabalho tem como objetivo analisar caminhos possíveis para uma prática clínica no/de território não só psi , mas de corpos agenciadores no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS). A cartografia foi utilizada como método de pesquisaintervenção. Trata-se de um método de estudo da dimensão processual da subjetividade e de seu processo de produção, cuja orientação do trabalho do pesquisador não se faz através de metas pré-definidas, estas são traçadas no percurso da pesquisa. Trabalhei de 2007 a 2015 em diferentes unidades do SUS Unidades de Saúde da Família, Centros de Atenção Psicossocial, Hospital Geral e Maternidades , que serviram de campo de pesquisa. Durante este período, cenas relacionadas à prática clínica no SUS foram registradas em cadernos de formação e, posteriormente, em diários de campo. As cenas foram revisitadas e transformadas em narrativas de experiências-questão que, ao acolherem o inesperado, expuseram um problema e forçaram a pensar. Com as experiências-questão, discutimos as influências do pensamento platônico e do cartesiano para uma forma de habitar nosso corpo e o mundo marcada pela relação dicotômica entre o homem e a realidade. Problematizamos a relação entre produção de subjetividade, capitalismo e a construção do indivíduo, ressaltando a conexão desses elementos no estabelecimento de condições para o surgimento da psicologia. Explanamos ainda diferentes composições do plano do poder: o poder disciplinar, a biopolítica e a biopotência. Abordamos a saúde como processo de produção, capacidade normativa da vida (Canguilhem) e capacidade plástica dos corpos afirmarem sua vontade de potência (Nietzsche). Concebendo a saúde nesses termos, discutimos amarras e potencialidades na relação entre Estado, SUS e capitalismo para criação de práticas produtoras de saúde no contexto do SUS. Diante do exposto, apostamos numa clínica forjada no movimento de corpos agenciadores, num processo de abertura às diferenças intensivas que pulsam em nós. Trata-se do manejo entre formas postas e forças que se insinuam criando novos contornos nos corpos, atravessando-os, inventando relações produtoras de saúde por expandirem a vida. Potencializamos esse processo por meio de uma prática clínica transdisciplinar no/de território. Uma clínica que se faz num território vivo, usado, experimentado, processual, tempo-espaço de uma expressão. Território também político, de conflitos e negociações. Clínica no território e clínica de território são indissociáveis. Queremos dizer com isso que a forma própria de a prática clínica no SUS se atualizar se faz por meio da possibilidade de habitarmos os paradoxos que a constituem. Testar até o limite suas fronteiras, e assim (des)construir territórios, operar passagens.
Abstract: This paper aims to examine possible ways for a clinical practice in/of territory -not only "psi", but disposal bodies - in the context of Sistema Único de Saúde (SUS), the brazilian unified health system. Cartography was used as a method of researchintervention. It is a procedural dimension of the study method of subjectivity and its production process, in which the researcher work is not oriented by predefined goals, these are outlined during the survey. I worked from 2007 to 2015 in different units of SUS - family health units, psychosocial care centers, general and maternity hospitals - which served as a field of research. During this period, scenes related to clinical practice in SUS were recorded in formation notebooks and later in fieldwork diaries. The scenes were revisited and transformed into experience-question narratives that, receiving the unexpected, exposed a problem and forced to think. With the experience-questions, we discuss the contributions of Platonic and Cartesian thought to a way of inhabiting our bodies and the world that is marked by the dichotomous relationship between man and reality. We point out the problems of the relationship between subjectivity production, capitalism and the construction of the individual, emphasizing the connection of these elements to condition setting for the emergence of psychology. We also explain different ground of power compositions: disciplinary power, biopolitics and biopotency. We approach health as production process, raising powers of life (Canguilhem) and plastic capacity of the bodies to affirm their will to power (Nietzsche). Understanding health in these terms, we discuss the ties and possibilities of the relationship between state, SUS and capitalism for creating health producing practices in the SUS context. Given the above, we bet on a clinical forged in the motion of disposal bodies in a process of opening ourselves to the intensive differences pulsating in us. It is the balance between forms and forces that imply creating new contours on the bodies, through them, inventing health-producing relationships by expanding life. We leverage this process through an interdisciplinary clinical practice in the / of territory. A clinic made in a living area, used, experienced, procedural, time-space of an expression. Territory also political, conflictual and negotiations. Clinical practice in territory and clinical practice of territory are inseparable. We mean that the form of update at clinical practice in the SUS is done through the ability to inhabit its paradoxes. Test its borders to the limit, and trough this (un)build territories and operate passages.
Keywords: Prática clínica
Saúde
Território
SUS
Narrativa cartográfica
Psicologia clínica
Competência clínica
Saúde pública
Serviços de saúde mental
Clinical practice
Health
Territory
SUS
Cartographic narrative
Subject CNPQ: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Language: por
Country: BR
Publisher / Institution : Universidade Federal de Sergipe
Institution: UFS
Program Affiliation: Pós-Graduação em Psicologia Social
Citation: AMARAL, Mariane Marques Santos. Por uma clínica de(s)território no contexto do SUS : itinerâncias de uma narrativa cartográfica. 2015. 119 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015.
Rights: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/5962
Appears in Collections:Mestrado em Psicologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MARIANE_MARQUES_SANTOS_AMARAL.pdf1,99 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.