Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/6131
Document Type: Dissertação
Title: Desenvolvimento de metodologias eletroquímicas para monitoramento ambiental da rifampicina e sua eletrodegradação pela geração de agentes oxidantes in situ
Authors: Santos, Renê Humberto Tavares
Issue Date: 25-Oct-2010
Advisor: Arguelho, Maria de Lara Palmeira de Macedo
Resumo : Os fármacos são considerados poluentes emergentes, uma vez que sua presença em ambientes aquáticos é cada vez maior. Essa pesquisa tem como objetivo desenvolver metodologias eletroquímicas que permitam monitorar e degradar a rifampicina em água de abastecimento público. Na etapa de monitoramento foi desenvolvido um método voltamétrico empregando um biossensor de quitosana para análise de rifampicina. Paralelo a este estudo foi desenvolvimento e otimizado um método de eletrodegradação empregando eletrodo do tipo Ânodo Dimensionalmente Estável ADE® (Ti/RuO2 TiO2). O comportamento voltamétrico da rifampicina no biossensor de quitosana empregando-se a técnica de voltametria de pulso diferencial evidencia a presença de um pico de oxidação irreversível em 0,492 V (vs Ag/AgCl) correspondente a transferência eletrônica de dois elétrons por molécula. O estudo do efeito da velocidade de varredura e do pH do meio indicaram tratar-se de um processo eletródico com controle difusional e dependente do pH. O método voltamétrico de determinação da rifampicina apresentou uma recuperação de 110% para 1,0 10-5 mol.L-1. Nos experimentos de eletrodegradação da rifampicina sob eletrodos ADE® Foi avaliada a influência da densidade de corrente, obtendo como valor ótimo 120 mA cm-2. Para os ensaios em diferentes valores de pH, foi possível observar que os meios reacionais com pH 8 e 3 favoreceram a eletrólise da rifampicina para este tipo de reator em NaCl como eletrólito suporte com eletrodegradação de 100% das moléculas orgânicas da rifampicina em apenas 72s e 84s nestes meios racionais. Sendo que em apenas 48s a molécula da rifampicina foi totalmente degradada, por sua vez, seus subprodutos tiveram um tempo de eletrodegradação de 24 e 36s. A aplicação em água de abastecimento com acompanhamento da perda de cor foi feita por espectrofotometria na região do UV-Vis, em =370 nm. Houve uma remoção completa da cor e redução total da absorbância na eletrodegradação da rifampicina em aproximadamente 96 e 84s de eletrólise nos dois meios estudados, pH 3 e 8 respectivamente.
Abstract: The drugs are considered pollutant emergent, a time that its presence in aquatic environments is each bigger time. This research has as objective to develop electrochemical methodologies that allow to monitor and to degrade the rifampicin in water of public supplying. In the stage of monitor a voltammetric method was developed using a biosensor of chitosan for rifampicin analysis. Parallel to this study was development and optimized a electrodegradation method using electrode of the type Dimensionally Stable Anodes DSA® (Ti/RuO2 - TiO2). The voltammetric behavior of the rifampicin in the biosensor of chitosan using itself it technique of differential pulse voltammetry on indicates the presence of a peak of irreversible oxidation in 0,492 V (versus Ag/AgCl) corresponding the electronic transference of two electrons for molecule. The study of the effect of the speed of sweepings and pH of the way they indicate to be about a electrodic process with diffusional and dependent control of pH. The voltammetric method of determination of the rifampicin presents a recovery of 110% for 1,0 10-5 mol.L-1. From the experiments of electrodegradation of the rifampicin under electrodes DSA® it was evaluated influence of the chain density, getting as excellent value 120 mA cm-2. For the different assays in pHs, it was possible to observe that the half reacionais with pHs 8 and 3 favor the electrolysis of the rifampicin for this type of reactor in NaCl as electrolyte has supported with electrodegradation of 100% of organic molecules of the rifampicina in only 72s and 84s in these half reationais. Being that in only 48s the molecule of the rifampicin total is degraded, in turn, its by-products have a time of 24 electrodegradation of and 36s. The application in water of supplying with accompaniment of the loss of color was made through spectrophotometry in the region of UV-Visible, in =370 nm. It approximately had a complete removal of the color and total reduction of the absorbance in the electrodegradation of the rifampicin in 96 and 84s of electrolysis in the two studied ways, pH 3 and 8 respectively.
Keywords: Rifampicina
Quitosana
Eletrodegradação ADEs
Rifampicin
Chitosan
Electrodegradation DSA
Subject CNPQ: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA
Language: por
Country: BR
Publisher / Institution : Universidade Federal de Sergipe
Institution: UFS
Program Affiliation: Pós-Graduação em Química
Rights: Acesso Aberto
URI: https://ri.ufs.br/handle/riufs/6131
Appears in Collections:Mestrado em Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RENE_HUMBERTO_TAVARES_SANTOS.pdf903,2 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.